Estamos a chegar à época alta das novidades, despedimentos e renovações de patrocínios, o fim do ano…

Entre as novidades recentes os destaques estão na contratação de Griffin Colapinto pela Quiksilver, os despedimentos de Leonardo Fioravanti e Afonso Antunes pela mesma marca e, mais recentemente, a entrada de Filipe Jervis na 58 Surf.

Entretanto Jack Freestone, depois de cair do Championship Tour no final de 2021, praticamente não voltou a vestir a lycra de competição, focando-se mais na família e no seu canal de youtube, que partilha com Alana Blanchard. Segundo a Stab, o seu contrato com a Billabong chegou ao fim e não foi renovado, acabando aí uma relação de mais de uma década.

Outro que não tem competido tanto como no passado é Gabriel Medina, que teve um “semestre sabático” e voltou para fazer algumas provas antes de se lesionar, regressando recentemente para vencer a prova CS de Saquarema. E foi nessa prova que o mundo viu o novo autocolante na sua prancha, o da Monster Energy, apesar de não aparecer o logótipo no chapéu, como é a norma com esta marca.

O australiano que quase tomou o CT de 2022 “de assalto”, Jack Robinson, deixou de ter a Mountain Dew como patrocinador e (novamente, segundo a revista Stab), a partir de janeiro terá o logótipo da Red Bull na prancha.

Numa escala menos relevante um dos grandes nomes do free surf nos anos 90, Matt Archbold, depois de ter representado a Gotcha e a MCD durante muitos anos, passou por marcas como a Von Dutch, O’Neill e mais recentemente, RVCA, mas encontrava-se novamente sem patrocínio principal. Curiosamente foi a Gotcha, que já desapareceu e reapareceu no mercado várias vezes, que voltou a preencher o bico da sua prancha. Ainda falando de surfistas norte-americanos, o californiano Kade Matson juntou-se à “onda” de despedimentos da Quiksilver, marca que o patrocinava desde muito jovem.

E consta que haverá mais novidades relacionadas a bebidas energéticas e não só. Mais novidades em breve…

Comentários