Excesso de ondulação para o Pipe Masters | Dia 6

publicado há 2 anos por 0

BILLABONG-PIPE-MASTERS-DIA-6

Há quem diga que se deve ter cuidado com o que se “pede” e no sexto dia do Billabong Pipe Masters os competidores tiveram muito mais do que poderiam ter pedido.

Logo no início da prova o mar já estava a rondar os 3 metros e a previsão apontava uma subida gradual ao longo do dia. A ideia da organização era fazer os rounds 2 e 3 com o sistema overlaping, mas nem tudo correu como se esperava.

Kelly Slater estava no primeiro heat contra o wildcard Reef McIntosh e nos primeiros 30 minutos do heat parecia estar em baixo de forma, até que apanhou uma onda boa e tudo mudou. Depois da sua 5º onda, onde conseguiu dar um bom tubo, Slater voltou ao seu ritmo e duas “bombas” mais tarde tinha deixado Reef em combinação.

Foi pouco depois que se confirmou que o mar estava mesmo perigoso, quando Jordy Smith deu um grande tubo para backdoor! No entanto o tubo não tinha saída e Smith deu uma grande queda, terminando assim o seu ano competitivo. Curiosamente o Sul Africano liderou quase o heat todo contra Dusty Payne, que no fim passou por “simpatia” dos juízes, que lhe deram exactamente o que precisava (3.03).

O mar começou a ficar mais pesado e difícil e só mais um heat desta fase chegou aos dois dígitos em média, o 10º, que defrontava Tiago Pires e Jadson André. Infelizmente o português estava do “lado errado” deste confronto e perdeu.

Outro momento surpreendente deste dia foi quando Filipe Toledo deu um aéreo reverse full rotation, ficando assim com pontos suficientes para bater Glenn Hall.

Terminada a fase chegou-se à conclusão que o mar estava grande demais para haver boas disputas e a prova ficou on-hold, não regressando à água. Novo call será feito dentro horas, para dar continuidade ao Billabong Pipe Masters e à disputa pelo título mundial de 2014!

Comentários