Dentro de poucos meses será definido um novo Campeão Nacional Open de Surf, o 26º desde que o nosso desporto se tornou profissional em Portugal. Para comemorar o momento a ONFIRE compilou os nomes de todos os campeões, os seus adversários e alguns pontos de viragem que culminaram no que é hoje a super competitiva Liga MEO Surf.

Os anos 90

Antes de 1992 já se realizam provas nacionais de surf mas foi nessa temporada que o primeiro circuito verdadeiramente profissional aconteceu. Inicialmente organizado pela Adrenalina, o Circuito O’Neill Pisang Ambom foi o primeiro passo na direcção de uma nova fase, em que o surf se começava a equiparar a outros desportos mais estabelecidos no nosso país. Ao fim de alguns anos a Federação Portuguesa de surf passou a ficar responsável pela organização do circuito, algo que culminou numa pequena revolução do surf português entre 1998 e 1999.

1992 – Campeão Nacional – Almir Salazar – Nuno Matta 2º lugar – João Antunes 3º lugar.
Uma nova geração muito forte estava em ascensão mas na última etapa foi um veterano do surf brasileiro, Almir Salazar, que levou a taça e sagrou-se campeão nacional.

1993 – Campeão Nacional – Rodrigo Herédia
Apontava-se para João Antunes como o mais provável sucessor de Almir, mas o primeiro título de campeão nacional “português de Portugal” foi para Rodrigo Herédia, que também era um dos grandes nomes dessa geração e na última etapa assegurou o seu primeiro e único título neste circuito.

1994 – Campeão Nacional – João Antunes
À terceira foi de vez. Antunes conseguiu o seu primeiro título nacional e começou uma era de domínio que o colocou na disputa de quase todos os títulos dos 15 anos que se seguiram.

1995 – Campeão Nacional – Marcos Anastácio
Marcos Anastácio abriu a sua temporada com duas vitórias e quase deitou tudo a perder quando foi eliminado nos oitavos de final da última etapa. Felizmente para ele mais ninguém capitalizou na sua derrota e o título voltou para Carcavelos.

1996 – Campeão Nacional – João Antunes – José Gregório 2º lugar – Hugo Zagalo 3º lugar
Antunes ganhou mais um título e, ao mesmo tempo, um adversário de peso, José Gregório. Os dois seriam uma pedra no sapato do outro durante mais de 10 anos, protagonizando algumas das melhores disputas da história do surf português.

1997 – Campeão Nacional – José Gregório – Jó Bento 2º lugar – João Antunes 3º lugar
Depois de ameaçar no ano anterior, Gregório finalmente conseguiu impor o seu poderoso estilo de surf e garantir o seu primeiro título nacional por uma grande margem para o segundo classificado.

1998 – Campeão Nacional – João Antunes – José Gregório 2º lugar – João Alexandre “Dapin” 3º lugar.
O ano acabou com ondas incríveis em Carcavelos e a etapa seria vencida por Tiago Pires, na véspera de atacar o circuito QS de corpo e alma. Da água saíam dois surfistas a celebrar o mesmo título, João Antunes e José Gregório. Este polémico momento foi a “gota de água” que originou a separação entre os melhores surfistas do país, através da recentemente criada ANS, e a Federação Portuguesa de Surf.

1999 – Campeão nacional – Justin Mujica – João Antunes 2º lugar – José Gregorio 3º lugar.
O campeão nacional oficial foi Freddy Brito, que competiu contra uma mão cheia de surfistas no circuito organizado pela Federação Portuguesa de Surf. Mas o campeão reconhecido pelos surfistas e indústria foi o recém chegado Justin Mujica. Nesse ano o circuito foi um dos mais fortes de sempre, sendo possível comparar com a actual Liga MEO Surf. Foram 9 etapas, 3 das quais organizadas pelo competidor Rodrigo Herédia, os Beach Games, realizados no Guincho, Praia Grande e Ericeira, que ofereciam um prize money sem precedentes para a época. Ainda se realizaram etapas na Linha, Pedra Branca/Reef, Caparica e Porto.

Mais sobre os 25 campeões nacionais do surf português brevemente AQUI!

(Algumas imagens dos anos 90…)

Comentários

Os comentários estão fechados.