O Azores Airlines Pro, prova de 6.000 pontos a contar para o ranking de qualificação da WSL, é uma das raras provas do tour em que a organização se pode dar ao luxo de avançar poucos heats por dia, parando sempre que a maré ou vento começam a prejudicar as ondas.

Foi o caso do quarto dia de prova, em que apenas se terminou o round 2 e se fez 2 heats do round 3. O swell que foi identificado logo no primeiro dia ainda não chegou aos Açores, mas houve boas ondas de meio metro disponíveis para todos os competidores.

O único português em prova neste dia, Vasco Ribeiro, encontrava-se no heat 23 do round 2, e tinha como adversários Luel Felipe, Tomas Hermes e Shun Murakami. Todos começaram com ondas acima dos 5 pontos e rapidamente fizeram back ups, excepto Vasco, que abriu com um “pobre” 3.93 e ficou muito tempo à espera da sua segunda onda. Quando ela finalmente apareceu, a pouco mais de 10 minutos do fim do heat, Ribeiro fez a espera contar e graças a dois snaps de backside muito fortes e a várias pauladas, recebeu a 3ª melhor nota do dia, um 8.17, uma pontuação que só não foi mais alta porque a onda era pequena. Daí Vasco não parou mais, tendo conseguido fazer um back up de 5.57, acabando no 2º lugar apenas devido a uma nota de 8.93 de Luel perto do fim. Mesmo assim o português eliminou um ex-top do CT, Hermes, e Murakami, o único finalista que não fazia parte do Championship Tour no recente ISA World Surfing Games.

O round 3 avançou pouco e teve como surpresa a eliminação do actual número 2 do ranking QS, Alex Ribeiro, para Tristan Guilbaud e Jackson Baker. Já Frederico Morais e Afonso Antunes terão que esperar mais um dia para voltar a competir, tal como Vasco Ribeiro.

Acompanha a evolução do Azores Airlines Pro em directo AQUI!

Heats com portugueses
Round 3
Heat 3 | Jake Marshall x Frederico Morais x Ruben Vitoria x Jack Robinson
Heat 5 | Carlos Munoz x Maxime Huscenot x Alonso Correa x Afonso Antunes
Heat 11 | Evan Geiselman x Te Kehukehu Butler x Vasco Ribeiro x Michael February

 

Comentários