“Armada Lusa” reduzida a um elemento no Great Lakes Pro | Dia 3

publicado há 11 meses por 0

KP-GREAT-LAKES-PRO-DIA-3

No terceiro dia do Komunity Project Great Lakes Pro os quatro portugueses ainda em prova estiveram na água mas no fim do dia só restava um competidor na “Armada Lusa”.

Tomás Fernandes e Zé Ferreira finalmente vestiram as suas lycras de competição, mas nenhum dos dois conseguiria chegar à fase seguinte. Tomás fez um bom heat e a meio da bateria fez uma nota de 6.5, que foi uma das melhores ondas da bateria. O seu back up era de 4.75 pontos e parecia estar sólido para avançar atrás de Lucas Silveira, que dominou a bateria com uma nota de final de 7.4. Infelizmente o aussie Quinn Bruce fechou o heat com duas ondas bem trabalhadas, conseguindo as notas de 5.8 e 5.6, o que deixou o surfista da Ericeira a precisar de uma nota de 4.9. Fernandes andou lá perto mas as notas saíram um pouco abaixo do que precisava e foi eliminado.

Zé (ou Hosé como lhe chamam na Austrália) Ferreira entrou dois heats mais tarde e também fez bom surf, conseguindo notas de 7 pontos (a segunda melhor do heat) e 5.5. O veterano Nathan Hedge fechou a bateria com uma onda de 8 pontos o que lhe garantiu o 1º lugar enquanto que Gatien Delahaye foi mais consistente que o português e com notas de 6.25 e 6.50 passou em segundo lugar.

A prova masculina avançou até ao round de 16, enquanto que a feminina já estava nessa fase e avançou para o quartos de final man-on-man. Teresa Bonvalot e Camilla Kemp estavam no mesmo heat e tinham como adversárias as australiana Kobie Enright e Ellie Brooks. Kobie fez um dos melhores heats da sua carreira na WSL e venceu com 16 pontos, deixando as portuguesas a lutar pelo segundo lugar. Teresa foi quem começou melhor, com notas de 6.5 e 3.6 mas Camilla quase “virou” o heat nas suas duas últimas, com notas de 6.1 e 4 pontos. De facto as duas até empataram nas suas pontuações mas Bonvalot tinha a nota mais alta entre as duas e avançou.

Teresa é novamente a única surfista portuguesa em prova, e tem pela frente uma difícil adversária nos quartos de final, Justine Dupont. A francesa é sua companheira de equipa na Billabong, ex-top do WWCT e a vencedora da etapa passada. No entanto a portuguesa tem batido grandes nomes do surf feminino com regularidade e tem tudo para conseguir mais um grande resultado!

Acompanha a evolução desta prova em directo AQUI!

Comentários