A diferença entre a qualidade das ondas no circuito de qualificação e no Championship Tour sempre foi alvo de alguma controvérsia. Isto porque muitas das provas QS são em ondas de pouca qualidade, facilitando o percurso de experts em beach breaks e travando o caminho de alguns surfistas que seriam destaque nas localizações do “Dream Tour”.

Com o passar dos anos desproporção foi baixando, o tour perdeu algumas das suas ondas de nível mundial, que foram substituídas por localizações com mais acesso ao público. Já o qualifying ficou com algumas provas em ondas de nível mundial, como 0 Burleigh Pro, Pipe Pro, Krui Pro, Arica Pro, Ballito Pro, Cloud 9 Pro, HIC Pro (em Sunset), as etapas da Triple Crown e poucas mais.

Infelizmente poucas delas (excepto Pipe, Ballito e a Triple Crown) oferecem boas pontuações, sendo que a maior parte das pontuações dos surfistas que conseguem a qualificação são obtidas em condições frequentemente fracas. Essa “batalha” ainda poderá demorar algum tempo a mudar, mas o que é certo é que o circuito está cada vez mais carregado de boas localizações.

Às ondas acima mencionadas junta-se agora o Nias Pro (de 24 a 28 de Agosto) West Sumbawa Pro (de 8 a 12 de Setembro), ambas etapas de 1.000 pontos realizadas na Indonésia, etapas perfeitas para os surfistas com menos seeding e muito talento para os tubos começarem as suas escaladas no ranking.

Comentários