O sistema de duas divisões na (actual) WSL, uma de qualificação e outra para a disputa do título mundial, foi implementado em 1992 e sofreu poucas mudanças nas décadas que se seguiram.

De facto a maior alterações ocorreu entre a primeira e segunda etapa do ano de estreia do Championship Tour. A primeira etapa foi o Coca-Cola/Rip Curl Classic, realizado em Bells Beach e aí todos os surfistas competiam em três rounds com baterias de três surfistas e as médias acumuladas ao longo dessas baterias decidiram os 16 competidores que se qualificaram para os oitavos de final man-on-man. Curiosamente o eventual campeão do circuito desse ano, Kelly Slater, não se adaptou e não se qualificou para a fase man-on-man, compensando na etapa seguinte com presença na final, já num formato próximo do que encontra em vigor ainda hoje.

Houve mais mudanças, uma temporárias, outras nem tanto. Em 2011 a ASP (actual WSL) integrou temporariamente os rankings QS e CT, permitindo uma fase de qualificação a meio do ano, algo que enfureceu diversos surfistas, entre os quais se destaca Bobby Martinez, e ainda no mesmo ano, 2011, o número de competidores do Championship Tour foi “rapado” de 44 para 32. Houve também a possibilidade de retirada do round de repescagem em 2010, quando as condições exigiam que o evento fosse terminado em menos dias, algo que também não “marchou” bem com muitos dos competidores.

No entanto, a maior parte das alterações foram pequenas e bastante positivas, sendo a mais recente a retirada do round 5 de repescagem. As mudanças para 2019, nas provas masculinas, serão as seguintes:

 

 

Round 1 – Mantém-se com 12 heats de três surfistas mas, ao contrário do passado, em que apenas o vencedor de cada bateria passava para o round 3, o segundo classificado também avança;

Round 2 – Esta fase será agora composta por 4 heats com três surfistas cada e apenas o 3º classificado em cada bateria é eliminado, terminando na 33º posição;

Round 3 – Aqui serão feitos 16 heats, com dois surfistas cada, ao contrário dos 12 anteriores, e o segundo classificado em cada bateria é eliminado, terminando em 17º lugar;

Round 4 – Esta fase terá 8 baterias man-on-man, e a partir daí a prova segue com quartos de final, meias e final man-on-man.

No tour feminino as mudanças serão as mesmas, adaptadas ao número de competidores do mesmo.

A primeira etapa do tour será o Quiksilver Pro Gold Coast e oBoost Mobile Gold Coast Pro, realizados entre 3 e 13 de Abril.

 

(Os surfistas da “EuroForce” foram dos que mais abertamente criticaram uma das alterações no formato)

Comentários

Os comentários estão fechados.