Neste momento há apenas um surfista português garantido no Championship Tour de 2022, Frederico Morais, que acabou o circuito de 2021 num histórico 10º lugar no ranking. Kikas poderá ter companhia no tour do próximo ano, mas o percurso não será fácil para nenhum dos candidatos.

No tour masculino, o “cut” está neste momento nos 9.500 pontos graças à pressão dos competidores que levaram a WSL a abdicar das vagas dos double qualifiers (mais sobre este tema AQUI). Jordan Lawler e Samuel Pupo estão no limite da qualificação, na 15ª classificação, e assumindo que ninguém no top30 conseguiria melhorar a sua posição na prova final, qualquer competidor até à 80º posição dos Challenger Series teria hipóteses matemáticas de chegar aos pontos que precisaria para se qualificar.

Para Vasco Ribeiro, o actual 38º do ranking e único surfista português da categoria masculina com hipóteses de se juntar a Morais, um 7º lugar seria o suficiente para passar os 9.500 pontos, ficando com 10.600 pontos. No entanto, esse cenário não é realista pois é praticamente garantindo que vários surfistas irão melhorar os seus resultados e o “cut” irá aumentar bastante. Um 4º lugar em Haleiwa aumenta muito as hipóteses do surfista de São João do Estoril, que ficaria com 11.800 pontos, mas um segundo (13.500) ou um primeiro (15.500) seria muito mais garantido.

A situação no circuito feminino é ainda mais complexa, mas são três as surfistas nacionais com hipóteses matemáticas de se qualificarem para o tour de 2022. Neste momento o “cut” está ainda mais alto, nos 12.500, uma posição ocupada por Sawyer Linblad e Vahine Fierro, no 5º lugar do ranking.

Yolanda Hopkins e Teresa Bonvalot estão em 20º e 23º mas, em termos de resultados para manter, estão iguais, ambas com duas etapas de 3.500 pontos, 9ºs lugares. Para “furarem” o “cut” terão que chegar, pelo menos, à final. 4º lugar deixa-as com 13.300 pontos, mas, à semelhança da categoria masculina, a fasquia deve aumentar e a qualificação será mais realista com o segundo lugar (15.000 pontos) ou a vitória (17.000 pontos).

Carolina Mendes também está nesta conversa mas, só para passar o “cut” actual, precisa de ficar em 2º lugar na prova havaiana, enquanto que uma vitória deixa-a com 15.000 pontos e, possivelmente, no CT de 2022.

O Michelob ULTRA Pure Gold Haleiwa Challenger realiza-se entre 26 de novembro e 7 de dezembro, acompanha tudo em directo AQUI!

 

Comentários