Apesar de ter sido a melhor surfista nacional nos Jogos Olímpicos que se realizaram em 2021 e no ranking Challenger Series do mesmo ano, Yolanda Hopkins ficou à porta da qualificação para os eventos de 2022.

Depois de terminar em 9º lugar no Azores Airlines Pro e em 5º no Seat Pro Natanya, ambas provas de 3.000 pontos, a surfista do Algarve encontrou-se na 8ª posição do ranking, a precisar de subir um lugar (pelo menos) na última etapa. E, apesar de ter conquistado um brilhante 3º lugar, Yolanda ficou aquém do seu requisito uma vez que o Estrella Galicia Caparica Surf Fest apenas oferecia 1.000 pontos, acabando a apenas 95 pontos da última qualificada, a alemã Rachel Presti.

Portugal já estaria representada por três surfistas nos eventos que atribuem as vagas para o Championship Tour, Teresa Bonvalot, Mafalda Lopes e Francisca Veselko, que dominaram as três primeiras posições do ranking mas, tendo em conta tudo o que Hopkins tem feito ao longo dos anos, a WSL reconheceu o mérito e atribuiu-lhe uma vaga.

Já na categoria masculina a situação está um pouco mais complicada pois, até agora, nenhum competidor nacional furou o top9, algo que ainda pode acontecer com um resultado muito bom numa prova que ainda está a decorrer, o Estrella Galicia Pro Santa Cruz…

Comentários

Os comentários estão fechados.