Como previsto o segundo dia de prova do MEO Vissla Pro Ericeira, prova Challenger Series da WSL realizada na Ericeira, começou cedo com os heats que restavam do round de 96 da prova masculina.

As condições melhoraram bastante em relação ao dia anterior, com ondas mais perfeitas apesar de ligeiramente menores e com menos consistência. O primeiro a mostrar um nível de surf mais acima da média foi o talentoso brasileiro, Caio Ibelli, um surfista que já tirou grandes resultados em point breaks de direita no Championship Tour. O seu surf encaixou bem o suficiente em Ribeira para fazer notas de 8.50 e 6.9 e dominar por completo o seu heat.

Foram muitos os heats em que várias notas decisivas foram surfadas nos minutos finais, com resultados a saírem já com os competidores fora de água. Foi o que aconteceu na última bateria da fase, que defrontava os portugueses Frederico Morais e Afonso Antunes com o brasileiro Alejo Muniz e o australiano Sheldon Simkus. Kikas era o favorito à vitória, mas nas suas primeiras ondas não conseguiu mostrar a sua habitual mestria neste tipo de condições, caindo em algumas finalizações e não acertando o timing em alguns carves. Mesmo assim a poucos minutos do fim ocupava o segundo lugar, enquanto que um “endiabrado” Muniz transformou ondas fracas em notas sólidas para acabar na frente. Por sua vez Afonso Antunes, que não precisava de uma nota muito alta para virar o heat a seu favor, arriscou bastante numa das suas melhores ondas mas não foi bem sucedido, acabando em quarto lugar. Mas foi uma onda de Sheldon que mudou tudo. A precisar de apenas 4.33, Simkus apanhou uma onda mais pequena mas com muita parede e acabou por dar a volta ao resultado, empurrando Morais para terceiro lugar.

Seguiu-se a prova feminina, que teve como maiores destaques Silvana Lima e Gabriela Bryan, ambas a conseguirem fazer notas altas com facilidade e bons back ups. A primeira portuguesa a competir na prova feminina foi Francisca Veselko, na sua estreia neste tipo de eventos. A grande favorita a dominar esta bateria era Coco Ho, que vinha fresquinha de um 3º lugar na prova Challenger Series de Huntington Beach. No entanto foi a japonesa Shino Matsuda e a basca Garazi Sanchez-Ortun que se destacaram no início da bateria, impondo cedo notas altas. Francisca não fez muito no início do heat, parecendo que não ia entrar na disputa. Até que apanhou uma “bomba” e a surfou muito bem, com várias rasgadas e boas batidas no lip para fazer a melhor nota do heat, 8 pontos. Mesmo assim estava a precisar de uma nota de 4.83 para chegar ao segundo lugar, algo que ficou perto de conseguir, surfando o suficiente para ter a nota caso a sua onda fosse um pouco maior. Veselko acabou assim em terceiro lugar, à frente de Coco Ho e, apesar de não ter conseguido avançar, mostrou o seu enorme potencial.

Yolanda Hopkins surfou logo de seguida, contra surfistas de 3 nacionalidades diferentes, Sarah Baum da África do sul, Zoe McDougall, do Havai (EUA) e Josefine Ane, de Israel. A algarvia claramente não quis cair no mesmo erro de outros portugueses, atacando cedo no heat para não ficar a correr atrás mais tarde. A estratégia resultou e Yolanda, que se encontrava muito em casa nas ondas que entretanto já tinham aumentado bastante, pontuou bem com boas rasgadas e finalizações explosivas, para vencer com autoridade, trazendo consigo McDougall em segundo lugar.

Outra surfista portuguesa ainda competiu neste segundo dia, na última bateria que se realizou. Mafalda Lopes tinha como adversárias Brisa Hennessy, Samantha Sibley e Rachel Presti e acabou por perder numa situação muito semelhante à de Francisca. A meio do heat Mafalda chegou mesmo a estar em segundo lugar, atrás de Hennessy, graças a uma onda muito longa, cheia de boas rasgadas e com uma boa batida no fim, onde foi buscar a nota de 6.5. Na final Brisa acabou em primeiro, e tanto Lopes como Sibley e Presti fizeram mais uma onda, e esperaram o resultado fora de água. As três ficaram separadas por apenas 0.27 pontos, tendo Samantha acabado em segundo, Rachel terceiro e Mafalda, que recebeu 3.69 a precisar de 3.9 pontos, em quarto lugar.

Depois de um dia de derrotas apertadas, a “armada lusa” acabou reduzida a 4 surfistas, sendo que tanto Carolina Mendes como Teresa Bonvalot ainda não se estrearam na prova. Acompanha a evolução do MEO Vissla Pro Ericeira AQUI!

Prova masculina
Round 2
Heat 9 | Kauli Vaast x Vasco Ribeiro x Shino Matsuda x Jackson Baker

Prova feminina
Round 1
Heat 10 | Keala Tomoda-Bannert x Meah Collins x Carolina Mendes x Savanna Stone
Heat 15  | Kirra Pinkerton x Betttylou Sakura Johnson x Teresa Bonvalot x Brianna Cope

Round 2
Heat 4 | Freya Prumm x Freya Prumm x Shino Matsuda x  Yolanda Hopkins

Comentários