Mais uma vez os melhores surfistas de Portugal e arredores juntaram-se na Praia do Cabedelo, Figueira da Foz, para competir no último dia da primeira etapa do Allianz Figueira Pro.

O mar rondava um metro nas ondas maiores, com ondas e meio metro a quebrarem com alguma consistência. O dia começou com o round de 8 surfistas da prova feminina, com a vitória de Gabriela Dinis e Carolina Mendes em segundo lugar, deixando Erica Máximo e Constância Simões fora da prova. De seguida realizou-se uma espécie de “Superheat” do surf nacional, uma bateria que juntava Teresa Bonvalot, Francisca Veselko, Mafalda Lopes e Maria Salgado. Lopes surfou bem mas estava claro que uma lesão a incomodava, acabando um pouco mais atrás na disputa enquanto que Teresa Bonvalot abusou do surf de backside para fugir com a liderança. Sobrava uma vaga, que foi muito disputada e a mais jovem do heat, acabaria com a segunda posição enquanto que Veselko era eliminada.

Seguiram-se os quartos de final man-on-man masculinos, quatros heats onde se viu muito bom surf da parte de todos os competidores ainda em prova. O primeira confronto juntava Guilherme Fonseca e o polaco Max Maksymilian e o foi o surfista de Peniche que esteve melhor estrategicamente, impondo muita pressão desde o início, com várias notas fortes logo nos primeiros minutos, acabando por controlar o heat de ponta a ponta. Depois foi a vez de dois surfistas da mesma geração, Tiago Stock e João Roque Pinho, disputarem uma vaga na final, tendo o primeiro conquistado a vitória por pouco mais de um ponto. Entretanto, Tomás Fernandes mostrou vir com um novo foco este, batendo Arran Strong por uma margem bastante considerável. E para fechar a fase o último goofy em prova, Luís Perloiro, disputou taco a taco a última fase nas meias finais com o campeão nacional de 2022, Guilherme Ribeiro, acabando com a vitória por menos de um ponto.

Nas meias finais de duas surfistas da prova feminina Gabriela Dinis usou muito bem o rail e atacou secções para superar a cada vez mais perigosa Maria Salgado, enquanto que Teresa Bonvalot bateu Carolina Mendes para garantir mais uma presença na final. A final, por sua vez, foi muito disputada mas Bonvalot parece ter uma ligação forte com as ondas da Figueira da Foz e garantiu a que seria a sua quarta vitória neste local.

À final masculina avançaram Tiago Stock, que bateu Guilherme Fonseca, e Tomás Fernandes, o único dos 4 surfistas que já tinha vencido uma etapa no passado, que eliminou o seu companheiro de equipa da Billabong, Luís Perloiro. Stock vinha com o momentum de ter conquistado o maior triunfo da sua jovem carreira, a vitória no Capítulo Perfeito, enquanto que Tomás surgiu nesta prova com um foco que já não apresentava há anos, um mood “cool, calm and colected”. Tiago surfou muito, apresentando os carves que o levarem até esta fase mas Fernandes parecia estar em casa nas direita do Cabedelo, alternando os seus bonitos carves com boas finalizações, para vencer pela primeira vez desde 2019 e passar directamente para a liderança deste circuito, surgindo novamente como um fortíssimo candidato ao título nacional no fim da época.

E assim terminou a primeira etapa da Liga MEO Surf, que volta entre 12 e 14 de Abril para o Somersby Porto Pro.

Comentários