Depois de vários dias em stand by, e apenas uma “mão cheia” de heats realizados na categoria feminina, o Margaret River Pro, quinta etapa do Championship Tour de 2022, avançou com um longo dia de competição no “Main Break”.

Para o português em prova, Frederico Morais, a espera seria ainda mais longa já que a sua era a última bateria do dia, realizado pela manhã na hora portuguesa. Os seus adversários eram dois nomes de peso, Griffin Colapinto e Jack Robinson e foi o local, Jack, quem atacou primeiro, recebendo uma nota de 4.17 com uma manobra isolada.

Mais ou menos a meio do heat Frederico liderava, contando com as duas melhores notas do heat, dois scores “médios” na casa dos cinco pontos. Foi Griffin, o vencedor da prova portuguesa do CT, quem começou a “fugir” com a liderança, surfando muito bem um par de ondas para acabar destacado em primeiro lugar. Robinson escolheu uma onda mais pesada para tentar dar a volta ao resultado, algo que os juízes valorizam muito nesta prova, passando para segundo lugar com uma nota de 6.07, deixando Morais a precisar de fazer 5.55 pontos para avançar. Mesmo no final Kikas apanhou uma onda, deu três bons carves e finalizou com uma manobra numa junção de pouca consequência mas o “painel” achou que não tinha feito o suficiente e pontuou 0.04 pontos abaixo do seu requisito. Infelizmente isso significa que terá que surfar no round 2, mas nada está perdido ainda. O seus adversários serão Jacob Willcox e Miguel Pupo no heat 3 da próxima fase.

Ainda neste dia as grandes surpresas foram as vitórias de nomes surpreendentes como Jackson Baker, Callum Robson, Connor O’Leary, João Chianca e Leonardo Fioravanti e a presença na fase de repescagem de Kelly Slater, Caio Ibelli, os irmãos Pupo e Seth Moniz. Acima da média estiveram claramente surfistas como John John Florence, Filipe Toledo, Ezekiel Lau, Ítalo Ferreira e Ethan Ewing.

Acompanha a evolução desta prova AQUI!

Comentários