Foi, como previsto, foi em Leça da Palmeira que o Joaquim Chaves Saúde Porto Pro, segunda etapa da Liga MEO Surf de 2022, se iniciou. As ondas pouco passavam um metro mas a corrente e a própria formação fez com que a escolha de ondas e a capacidade de voltar ao sítio certo do line up fossem quase mais relevantes que o próprio nível de surf.

Nos trials os destaques foram claramente o brasileiro Ian Batista, Tomás Nunes e João Roque Pinho, que venceram as suas baterias com larga vantagem. A grande maioria das ondas surfadas foram para a esquerda e uma das exceções foi uma direita surfada por um dos finalistas desta etapa no ano passado, Halley Batista, que também fez boas esquerdas, enquanto que a melhor onda do dia foi surfada pelo outro finalista, Vasco Ribeiro. Numa das maiores ondas do dia, o surfista de São João do Estoril deu um grande floater de backside, seguido de um poderoso snap e mais algumas manobras para receber 9.25 e logo na onda seguida fez uma nota de 7.5 para combinar os seus adversários e mostrar quem é o “top dog” do evento.

E houve mais destaques, Joaquim Chaves representou bem o patrocinador do evento, mostrando um surf muito bonito e solto nas esquerdas e o mesmo se pode dizer de Luís Perloiro, João Kopke, Tomás Fernandes e Eduardo Fernandes. As surpresas ficaram com as vitórias de Miguel Matos, Guilherme Costa e Gabriel Ribeiro e as derrotas de Diogo Martins, Henrique Pyrrait e Francisco Mittermayer.

Na categoria feminina não houve grandes surpresas, excepto talvez Gabriela Dinis que não tem estado tão em evidência recentemente como o restante grupo de surfistas de destaque nacionais, mas que neste dia fez a melhor média.

Acompanha a evolução desta prova prova em directo a partir das 7:30 AQUI!

Comentários