O Quiksilver Pro France já poderia ter começado mas até agora só Roxy Pro France foi à água. Isso significa que ainda vais a tempo de fazer a tua equipa no Fantasy e competir na Liga ONFIRE Surf 2017 (password: OF 2017). Fica com as dicas da ONFIRE sobre alguns nomes deves ter em consideração nesta escolha.

Jordy Smith - Photo by Cestari

Jordy Smith – Photo by Cestari

Nível 1
Jordy Smith & John John Florence. Esta dupla ocupa as duas primeiras posições do ranking por uma boa razão, estão ambos a atravessar excelentes épocas competitivas. Entre eles apenas Florence conta com uma vitória em França mas Jordy consegue estar a carregar ainda mais momentum. Com a disputa pelo título ainda bem aberta, os dois precisão de manter o flow de resultados a andar e têm o repertório certo para derrotar qualquer adversário nas (regularmente) difíceis ondas de Hossegor/Landes.

John John Florence - Photo by Rowland

John John Florence – Photo by Rowland

Dark horse
Filipe Toledo
“Filipinho” é o furação do tour, um surfista que em certas condições é quase imbatível. O seus adversários sabem bem que se o brasileiro estiver ON, nada podem fazer para o derrotar, excepto, como Kanoa Igarashi descobriu, forçar prioridades e deixá-lo fazer os seus erros. Se as condições estiverem “coca-cola”, Toledo deverá ser obrigatório em qualquer equipa.

Filipe Toledo - Photo by Cestari

Filipe Toledo – Photo by Cestari

Nível 2
Frederico Morais.
No Brainer, o nosso guerreiro do Championship Tour está em grande forma e é um adversário que ninguém irá subestimar nas praias francesas. O rookie do tour surfa como um veterano e conhece as ondas desta área melhor que muitos dos seus adversários e é uma das apostas mais seguras do nível 2.

Frederico Morais - Photo by Pedro Mestre / Portuguese Waves

Frederico Morais – Photo by Pedro Mestre / Portuguese Waves

Ítalo Ferreira
A chama de Ítalo apagou temporariamente devido a algumas lesões e eliminações “apertadas” mas o seu surf está lá. Recentemente, no EDP Billabong Pro Cascais, Ferreira mostrou a sua melhor forma e ficou muito perto de vencer a prova. Se mantiver o ritmo será, sem qualquer dúvida, um dos destaques do Quiksilver Pro France, sendo inclusivamente um candidato à vitória.

6-ferreira_i5919quikgc17cestari_n

Ítalo Ferreira – Photo by Cestari

Joan Duru
Depois de tantos anos de batalha no QS, o nativo finalmente volta para casa como membro do CT. Duru conhece as ondas de Hossegor como poucos e já começou a apanhar o seu ritmo no circuito. Se os nervos não forem um factor, Joan poderá fazer GRANDES estragos nesta prova.

Joan Duro - Photo by Cestari

Joan Duro – Photo by Cestari

Jeremy Flores
É difícil de perceber como é que o filho adoptado de Hossegor nunca tirou um bom resultado no seu quintal. É visível que é uma enorme frustração para Jeremy, que competiu nesta etapa várias vezes antes de entrar no CT e sempre mostrou muito bom surf. 2017 tem sido um ano on & off para ele e acreditamos que tudo vai bater certo e Flores irá finalmente tirar o resultado que faz justiça ao seu surf.

Jeremy Flores - Photo by Poullenot

Jeremy Flores – Photo by Poullenot

Dark Horse
Adrian Buchan
“Ace” é muito mais forte a nível competitivo que praticamente todos os seus “adversários” neste neste tier 2, mas nunca se sabe como está o seu foco. Em algumas etapas surge o Adrian implacável e noutros uma versão mais fraca dele próprio. Em Trestles mostrou o seu melhor e se mantiver o andamento dessa etapa poderá tirar mais um grande resultado.

Nível 2
Ezekiel Lau
O havaiano dominou em Portugal e é provável que as ondas estejam muito parecidas em França. Surf não lhe falta e a vitória em Cascais diminui a pressão de ter que fazer um “milagre”, como foi o caso do seu amigo Keanu Asing, que venceu em 2016 (e mesmo assim ficou fora do tour). A sua primeira vitória desde 2013 deve ter acrescentado alguma confiança, fazendo dele um nome muito perigoso nesta etapa.

Ezekiel Lau - Photo by Pedro Mestre / Portuguese Waves

Ezekiel Lau – Photo by Pedro Mestre / Portuguese Waves

Jadson André
“Jaddy” é um dos competidores que mais sofre no tour, andando sempre no limite da bolha de qualificação ou mesmo fora dela. No ano passado o brasileiro fez o seu milagre no Havai mas este terá que começar mais cedo a “carburar” se não quiser entrar nesse mundo de pressão. André já fez uma final nesta etapa e poderá perfeitamente fazer outra se trouxer o seu “A-Game”.

Dark Horse
Leonardo Fioravanti
Como Jeremy e muitos outros jovem super talentos europeus da Quiksilver, Leo chama esta zona de casa. O italiano começa a ficar numa situação muito difícil no ranking e já precisa de um pequeno milagre para se manter. Isso pode servir de motivação para tirar um grande resultado e chegar a Portugal e ao Havai com hipóteses de ficar no tour.

Podes fazer as tuas escolhas para o Quiksilver Pro France AQUI e juntar-te à Liga ONFIRE Surf 2017 (password: OF 2017) AQUI.

Comentários