Tom Curren recebeu do público um estatuto quase de personagem mítica, algo que se mantém até à actualidade, décadas depois dos seus títulos mundiais.

Foi em 1985 e 1986 que conquistou os seus primeiros dois títulos mundiais, reformando-se temporariamente do tour pouco depois. Em 1990 voltou ao circuito a tempo inteiro e fez algo histórico, algo que não foi repetido desde aí nem poderia ser. Por não ter competido no ano anterior e não ter seeding, Tom competiu a partir dos trials na maior parte dos eventos e venceu logo os três primeiros, vencendo mais quatro ao longo desse circuito de 21 provas para se sagrar novamente campeão mundial. Dois anos depois o circuito fazia a transição para duas divisões, CT e QS, e foi quando a geração de Kelly Slater começou a sua mudança de guarda.

Tom Curren desapareceu de cena novamente, embarcando nas viagens “The Search” do seu patrocinador, começando, sem qualquer pretensão, a que seria uma revolução no mundo do shape (mais sobre este tema AQUI) entre muitas outras que só contribuiu para reforçar a sua imagem. Mas, algures na década de 90, começou a ser cada vez difícil ter acesso a este surfista, o que fez com que a Rip Curl produzisse o “Searching for Tom Curren”, uma produção que foi quase uma premunição do que estava vir. Curren tornou-se tão pouco acessível que, ao contrário do que muitos pensam, deixou de ser patrocinado pela Rip Curl, assinando com marcas como a Mormaii e The Realm, até voltar a casa e manter-se como patrocinado até à actualidade.

Recentemente a Rip Curl lançou os 10 primeiros minutos do filme, que podes ver (acima).

Comentários

Os comentários estão fechados.