Fazer parte do Championship Tour e disputar títulos mundiais é o que se pode considerar estar no topo da cadeia do surf profissional. É o caso dos irmãos Owen e Tyler Wright e, possivelmente, do “caçula” da família, Mikey, que faz este ano a sua estreia como membro do CT a tempo inteiro.

Mas há outro lado para esta vida de sonho, as lesões e doenças e a difícil recuperação das mesmas. É algo que, infelizmente, a família Wright conhece bem! O novato do tour, Mikey, lesionou-se no fim do ano passado, o que o obrigou a faltar a várias etapas do circuito QS. Mas nada que se compare a Owen, que já teve várias lesões graves, sendo que a pior de todas aconteceu numa sessão em Pipeline, num ano em que estava na disputa pelo título a uma etapa do fim. O seu regresso demorou mais de um ano mas o seu esforço e dedicação foi compensado com uma vitória na primeira etapa do ano, entrando aí directamente para a disputa de mais um título mundial.

Mais recentemente foi a sua irmã, a bicampeã mundial Tyler, quem teve de abandonar temporariamente o tour. Depois de contrair o vírus Influenza em África no ano passado, Wright passou a viver na luta pela recuperação do Síndrome de Fadiga Pós-viral, o que a vai deixar do tour pelo menos durante mais 6 meses. Foi depois da etapa de Uluwatu que Tyler se retirou e, ao contrário do que se previa, a jovem australiana ainda tem um longo caminho pela frente.

A ausência de Tyler Wright da primeira etapa do ano abre uma vaga para Sage Erickson, a segunda alternate do tour, participar no Boost Mobile Gold Coast Pro, enquanto que a primeira alternate, Keely Andrew, já tinha vaga garantida.

Fica a saber mais sobre as lesões mais graves do tour AQUI!

Comentários