O dia de hoje, 7 de Julho, marca o fim do seeding de 2013. Isso significa que a partir deste momento os competidores do WQS ficam a contar com o ranking actual para competir nas provas que faltam em 2014, onde se inclui cinco valiosas etapas Prime.

A última etapa antes deste “corte” foi o Mr Price Pro Balito, onde apenas 4 portugueses tiveram pontos (do ano passado) para competir. O resultado foi o seguinte:

Tiago Pires terminou em 3º lugar, subindo assim 94 posições no ranking, ocupando neste momento o 15º lugar. E se por um lado o surfista da Ericeira, por ser top do WCT, não precisa destes pontos (pois tem acesso directo a qualquer etapa de qualificação), os 4.225 pontos que conseguiu aqui poderão ser uma grande ajuda caso queira ou precise de recorrer ao WQS para se requalificar.

Nicolau Von Rupp terminou em 25º lugar, caindo assim 12 posições mas mantendo um lugar sólido no ranking, o 36º posto. Para estar rankeado tão alto Nic recorreu aos 2.400 pontos que garantiu ao terminar em 9º na outra etapa Prime deste ano, o Quiksilver Saquarema Prime.

Frederico Morais ficou em 17º lugar em Balito e subiu 9 posições, ocupando agora o 38º lugar no ranking. Este seeding, tal como o de Von Rupp, deixa o surfista do Guincho numa posição bastante “confortável” para as próximas etapas.

Marlon Lipke também terminou em 17º na África do Sul e mesmo assim subiu 64 lugares, ocupando agora a 73º posição no ranking. Lipke apenas competiu em apenas três etapas este ano mas isso foi suficiente para estar num lugar “quase” confortável no ranking do WQS. A seu favor estão duas pontuações de 0 pontos que, sendo substituídas, darão margem de fácil progressão.

Vasco Ribeiro não tinha pontos de 2013 para competir nas etapas Prime, e isso prejudicou-o bastante. Esta ausência custou-lhe 15 lugares do ranking, ocupando neste momento a 104º posição. Vasco está neste momento no México onde irá competir numa etapa de 4 estrelas. Os pontos que conseguir aí serão muito valiosos para competir nas próximas etapas Prime.

Zé Ferreira está neste momento na 157º posição no ranking. A sua situação é semelhante à de Vasco Ribeiro pois precisa de arrecadar bons pontos em etapas com menos surfistas com seeding superior para se juntar ao resto dos portugueses nas etapas mais importantes.

Além das cinco etapas Prime, onde competem os 90 primeiros do ranking, mais 6 wildcard e menos os tops do WCT que se inscreverem, ainda faltam várias etapas entre uma e cinco estrelas, que poderão mudar ligeiramente o ranking. Para a qualificação para o WCT contam apenas os cinco melhores resultados de cada competidor.

Comentários

Os comentários estão fechados.