QS em análise | Como estão os surfistas portugueses no ranking…

publicado há 2 anos por 0

O-RANKING-QS-EM-ANALISE

O ano de 2014 foi especial para o surf português. Apesar de termos perdido o nosso único top do WCT ganhámos um campeão mundial júnior e 7 surfistas conseguiram a qualificação para os eventos mais importantes de 2015, pelo menos até meio do ano.

Será em Agosto que o ranking de 2014 deixa de contar, ficando em vigor o actual. Faltando apenas uma etapa QS 10.000 para se realizar o “cut”, fica a saber como estão os surfistas portugueses neste momento.

Vasco Ribeiro, tal como Tiago Pires, era o que menos tinha de se preocupar com “cut” de Agosto uma vez tem a sua vaga garantida como top seed até ao fim do via título mundial júnior, mas é o melhor português no ranking, ocupando a 52º posição. Apesar da sua vaga estar garantida no QS ainda precisa de vários resultados se quiser competir no WCT de 2016. O sua única pontuação forte é de 2.650 pontos, o que o obrigará a ter pelo menos três provas excelentes em etapas QS 10.000 (ou finais em QS 6.000) se quiser cumprir ests objectivo este ano.

À partida, Frederico Morais, que está na 70º posição, tem a sua vaga para os QS 10.000 da segunda metade do ano garantida, mesmo que não tire um bom resultado em Huntington Beach, a última etapa antes da transição. Mas para o seu objectivo principal, entrar no WCT, ainda tem uma longa caminhada pela frente. Nenhum dos seus resultados devem ser “keepers”, o que significa que tem de aproveitar muito bem as próximas etapas ou chegará ao Havai a precisar de resultados altíssimos.

Marlon Lipke (93º), Tomás Fernandes (96º), Zé Ferreira (99º) e Nicolau Von Rupp (100º) estão todos em posições semelhantes. Marlon e Nic estão em vantagem pois ainda só têm 4 etapas e a próxima pontuação entra na integra, já que contam 5 resultados. No entanto foram Tomás e Zé quem mais subiu na última etapa, 21 lugares cada. Qualquer um dos quatro precisa de um resultado sólido para se manter e isso incluí Fernandes pois, contrariamente ao que foi inicialmente comunicado, o seu seeding é só válido até Agosto, a partir daí está “por sua conta” como todos os outros (excepto Vasco Ribeiro).

Tiago Pires ficou um pouco para trás quando perdeu nos trials em Ballito, ficando a ocupar a 119º posição. Não é um lugar bom para estar nesta época do ano mas se tem seeding garantido para competir nas provas todas QS durante este ano, por isso está fora de perigo.

Acompanha a prestação dos portugueses na etapa decisora, o Vans US Open of Surfing, entre 26 de Julho e 2 de Agosto!

Comentários