Os novos surfistas do World Championship Tour de 2013 em análise, Glenn Hall #26

Nome: Glenn Hall
Idade: 30
Local: Urmina, Austrália
Patrocínios: Soorruz, Freak Traction, Simon Anderson

Glenn não é produto da “escola europeia”, mas sim um aussie com dupla nacionalidade. Membro de uma geração rica em goofies australianos conhecidos, como Shaun Cansdell e “Ace” Buchan, o (fisicamente) pequeno Hall não parecia ter potencial para WCT.

Até que se reinventou, assumiu a nacionalidade Irlandesa e patrocínios europeus e tudo mudou. Com alguma semelhança ao que Eric Rebiere tinha feito no passado, a mudança para a Europa funcionou e aos poucos foi ganhando o seu espaço até se qualificar.

Hall começou 2012 a vencer a etapa chinesa do tour logo no início do ano e não parou mais. Venceu uma etapa Prime na África do Sul, fez a final do (também Prime) evento de Trestles contra Gabriel Medina, e com três resultados consecutivos em Agosto (5º na Inglaterra, 3º em Lacanau e 9º em Zarautz) garantiu com muito mérito a qualificação para a primeira divisão do circuito.

Glenn Hall tem um pouco de tudo no seu repertório, é bom nos tubos, sabe surfar de rail e domina algumas manobras mais progressivas, mas não é fora de série em nenhum destes campos. A seu favor tem a experiência de Adrian Buchan, seu melhor amigo e companheiro de viagem, que é talvez o surfista mais inteligente e melhor estratega (a seguir a Slater) do tour.

O que se deve esperar em 2013?
Aos 30 anos a sua curva de aprendizagem não poderá ser tão acentuada como as dos outros novos nomes do circuito, mas tem por detrás uma necessidade maior de segurar este estatuto, o que no passado já resultou para alguns surfistas. No entanto a sua qualificação deverá depender da combinação de pontos do WCT e do WQS. Se se qualificar apenas pelo WCT podemos considerá-lo um “overachiver”!

Comentários

Os comentários estão fechados.