Tomás Fernandes, 19, é sem sombra de dúvida um dos maiores talentos nacionais com potencial para vingar internacionalmente!  E a prova disso mesmo foi o seu excelente terceiro lugar no Mundial Júnior realizado em Outubro passado, onde o português conseguiu um excelente terceiro lugar o que lhe garantiu acesso a todos os eventos de escalão máximo do WQS em 2015. Mas antes de se confirmar internacionalmente como um dos melhores juniores do mundo, quem já estava atento à Liga MOCHE e ao circuito Pro Junior sabia que era uma questão de tempo até este surfista da Ericeira dar o salto.

Em 2013, Fernandes venceu a sua primeira etapa do mais importante circuito nacional, etapa essa realizada também (como o Mundial Junior de 2014) na sua praia local, Ribeira d´Ilhas, e teve vários resultados sólidos no circuito Pro Junior Europeu. O ano passado, Fernandes sagrou-se ainda campeão nacional Pro Junior!

Dono de um surf muito sólido e de rail, o seu backside é também uma máquina mortífera de precisão e power. Se muitos apontam o surf mais progressivo como o seu handicap, convém relembrar um nome: Frederico Morais. Este seu companheiro de equipe foi também um late bloomer no jogo aéreo pois decidiu, e muito bem, crescer a desenvolver as bases do surf, o rail. Hoje, o surf de Morais é provavelmente o mais completo a nível nacional e será certamente este o caminho do surf de Fernandes. E quem vê o surfista da Ericeira a surfar sabe que o surf high performance não lhe é estranho, e quando o aperfeiçoar e o começar a integrar em competição tão à vontade como crava o rail, então será extremamente perigoso para qualquer surfista do mundo.

2015 será certamente o ano perfeito para Fernandes dar este salto pois passará o ano a competir nos mais importantes eventos do WQS frente aos melhores do mundo. É inegável que o seu surf e experiência competitiva ao mais alto nível irão rebentar, tal como é inegável que o facto de ter como companheiros de viagem no WQS nomes como Frederico Morais, Vasco Ribeiro, Nicolau Von Rupp, Zé Ferreira, Marlon Lipke e, muito provavelmente, Tiago Pires, o ajudará em muito na adaptação a um circuito em que já esteve presente pontualmente (e cim boas aparições – basta relembrar o seu excelente heat no Prime em Carcavelos em 2013 onde passou por cima de CJ Hobgood como se nada fosse) mas nunca a tempo inteiro.

Por tudo isto e muito mais, não é de admirar que o seu principal patrocinador, a Billabong, tenha renovado o seu contracto por mais três anos. “Para a Billabong, é um grande orgulho contar com um surfista com o potencial do Tomás, acima de tudo porque tem estado connosco desde o início e continua a provar, ano após ano, que tem potencial para chegar ainda mais longe. Vamos continuar a fazer aquilo que estiver ao nosso alcance para contribuir para a evolução do Tomás nos próximos anos e garantir que, naquilo que depender de nós, ele conseguirá concretizar os seus objetivos”, afirma Rodrigo Pimentão, diretor de marketing da Billabong em Portugal.

(As ondas da final de Tomás Fernandes, vencedor do Allianz Ericeira Pro by O’Neill, terveira etapa da Liga MOCHE 2013)

 

Comentários

Os comentários estão fechados.