Boonman descobre a Irlanda por convite para competir no Expression Session

publicado há 2 anos por 0

Boonman-Irlanda-v2

Não são muitas as vezes que um surfista português é convidado para um evento especial fora do seu país!   O Sea Sessions é um evento de música, surf e skate que acontece há uns bons anos na Irlanda. Se é a música que faz a pequena vila de Bundoran fervilhar durante três dias, o surf faz o mesmo nas ondas que rebentam em frente às gigantes tendas por onde passam diversas bandas. Neste recinto, uma rampa de skate faz as delicias de skaters que, tal como no surf, competem também por um prize-money.

Se as pessoas enchem as tendas do Sea Sessions ao fim do dia para ouvir as várias bandas, durante o dia são muitos os que procuram a competição de surf para ver bom surf. O formato desta competição é o de uma Xpression Session, ou seja, passa o heat quem der a melhor manobra.

Este ano esteve presente o português Pedro Boonman, que, tal como Nicolau Von Rupp no passado, teve oportunidade de defender as cores nacionais no Sea Sessions. Boonman acabou por ficar em segundo lugar, atrás do inglês Liam Turner, mas esta viagem serviu para muito mais do que competir. Serviu para Boonman ter o primeiro contacto com um destino que, como todos sabemos, produz algumas das melhores, mais perfeitas e maiores ondas do Inverno Europeu. Pode dizer-se que o trabalho de reconhecimento do local está feito, e agora é esperar a altura certa para voltar à verde Irlanda.

Não podíamos deixar de fazer umas perguntas ao surfista de Carcavelos para saber o que achou da sua primeira experiência na Irlanda.

Boonman, como surgiu a oportunidade de ires à Irlanda? Três semanas antes do Sea Sessions começar recebi uma chamada do Joel Gray – da Monster Energy – a perguntar se queria entrar num evento de manobras progressivas, no qual me identifico bastante, e não consegui dizer que não.

Como estava o tempo nesta altura do ano? Estava um frio gigante. Apanhámos ali um dia com umas abertas mas de resto foi só chuva, vento e muito frio. E nunca tinha estado num sítio onde só às 11.30 da noite é que está noite cerrada e às 4 da manhã já há luz do dia!

Como estiveram as ondas enquanto lá estiveste? Esta altura do ano não é a melhor para a Irlanda, mas ainda apanhámos umas ondas boas, sempre com onshore e um frio que já não apanhava há muito tempo. No fundo, nesta altura do ano na Irlanda é com se fosse Dezembro ou Janeiro em Portugal.

Pelo que viste in loco – que é sempre diferente de ver nos vídeos – o que te pareceu, a nível de potencial, o surf nesta zona da Irlanda? Na minha opinião penso que a Irlanda tem um potencial muito grande. Não tive a melhor sorte com os ventos, mas pelo que vi se tivesse apanhado offshore todos os dias tinha sido uma viagem incrível. Mas mesmo assim, com fortes ventos onshore e com gigantescas mas rápidas descargas de chuva várias vezes ao dia, deu para fazer bom surf, principalmente no dia da final pois foi o que havia mais swell.

Que conselhos darias a quem quer ir à Irlanda? Que levem fatos para cima de 4x3mm, com gorro, botinhas, luvas. É sem dúvida este destino para ir no Inverno, não no nosso Verão (a não ser que vejas que vai entrar um bom swell e ventos certos).

E o campeonato em si, fala-nos um pouco do formato. Haviam 10 convidados ao todo, seis locais e quatro de outras regiões, Portugal, Inglaterra, Nova Zelândia e México. Passavam aqueles que se destacassem com a melhor manobra em cada heat, aéreos, laybacks, etc.

Como foi o primeiro heat? O campeonato realizou se em dois dias. O primeiro dia de passou por Tullan (uma das praias que recebe mais swell nesta aérea), que é um beach break divertido com altas rampinhas para voar. As ondas nesse dia estavam pequenas mas divertidas e deu ainda deu para fazer umas manobras e passar para a final.

E a final, como foi? A final realizou se num pico muito divertido “The Peak”, um reef break para a esquerda e direita mesmo na praia principal de Bundoran. Foi uma final de 45 minutos com onde de metro e meio e ventos de 40Km/h onshore mas que, para minha surpresa, este pico aguenta na boa! Dei o meu melhor, e acabei por fazer uma manobra que nem sequer acreditei quando a vi filmada, um lay back, que acabou por me dar o segundo lugar.

Além do surf, o que mais acontece no Sea Sessions? Este evento não é só surf, envolve outros desportos ao mesmo tempo com o skate, bmx, volley, etc. E, no final do dia, para descontrair há um festival no qual dizem que é um dos melhores por aquelas zonas!

Agora que fizeste a primeira investida à Irlanda vais voltar lá quando entrar o swell perfeito? Acho que sim, quero lá voltar no próximo inverno. Consegui abrir umas portas e conhecer um bocado do que é a Irlanda, e na minha opinião vai ser mais fácil porque agora já sei o que me espera.

(A manobra que deu o 2º lugar a Boonman e a manobra que deu o 1º lugar a Liam Turner)

Comentários