Chegou ao fim mais uma Liga MEO Surf e novamente foi uma surfista local, Camilla Kemp, quem venceu a prova feminina. Foi a terceira vitória da surfista do Guincho em casa e a sexta da sua carreira neste circuito.

Nos últimos anos Kemp tem colocado o seu foco no circuito QS, tendo em 2016 feito a primeira final de sempre uma surfista português no QS e acabado no top50. Este ano já competiu em 13 tapas do circuito de qualificação, entre as quais se destacam o seu segundo lugar na África do Sul. Apesar de ter o seu calendário competitivo muito preenchido, Camilla manteve sempre uma forte presença na Liga, um circuito que tudo aponta que poderá vencer no futuro.

Recentemente mudou de patrocinador de pranchas, o que sempre requere uma fase de adaptação, mas nem todo o seu equipamento mudou. Camilla é patrocinada pela marca Futures Fins e a sua familiaridade com o sistema e as características das diferentes quilhas facilitaram a sua adaptação. Para competir no Bom Petisco Cascais Pro, a vice-campeã nacional escolheu as AM 1 Honeycomb, o seu jogo preferido para as ondas que se encontravam nesta.

A AM1 foi desenhada pelo icónico Al Merick, da Channel Islands Surfboards, o shaper responsável pelas pranchas de Kelly Slater, Rob Machado, Tom Curren e muitos outros durante as épocas mais impressionantes das suas carreiras.

É um fin de tamanho médio (145lbs – 195lbs )( 65kg – 88kg ) que se adapta bem a qualquer condição de mar com uma amplitude enorme de utilização, dai a opção da Camilla.

Tem um Ride Number de 6.1 que a coloca nos parâmetros de um set de fins Balanced (7 – 4) revelando-se uma all around. Mais sobre este modelo, AQUI!

Comentários