A Praia Grande, em Sintra, vai receber durante o Allianz Sintra Pro, etapa que vai realizar-se entre 6 e 8 de julho, a quarta ação de limpeza de praia âmbito nacional que decorre durante a Liga MEO Surf 2018, e que conta com o apoio da Fundação PT.

Após ter apanhado um total de 680 kg de lixo durante as três primeiras etapas do ano, esta iniciativa caminha a passos largos para atingir o número redondo da tonelada de lixo apanhado. Esse objetivo pode ser já alcançado na Praia Grande, onde a iniciativa vai contar com a presença de cerca de 300 crianças, entre os 6 e 15 anos, de instituições do concelho de Sintra. A elas juntam-se alguns surfistas e personalidades, como são os casos dos atores Pedro Lima, Tiago Teotónio Pereira e Manuel Sá Pessoa e do empresário Manuel Cotta.

Pedro Lima, ator e surfista
“Deveria pertencer ao sentido de responsabilidade de qualquer ser humano preservar aquilo que é uma parte do seu património mais valioso, o património natural. As praias são uma das características do nosso país da qual podemos ter mais orgulho e para as mantermos bonitas, como elas são, deveríamos ter a preocupação de limpá-las. Se é tão bom para nós poder contemplar uma praia bonita e cuidada, seria igualmente importante para as gerações que vêm a seguir fazê-lo. Os surfistas, em particular, têm uma ligação mais forte com a praia e o mar e, por isso, poderão ter um papel de exemplo para a sociedade. Por mais pequeno que seja o objeto, se tiver ali à beira-mar por que não o apanhamos e levamos para um contentor? Se estes gestos vierem de surfistas de competição, que são cada vez mais referências para os mais novos, é muito provável que as crianças entendam o significado e reproduzam o comportamento. O meu papel, em virtude da atividade que escolhi, é igualmente relevante. Dessa forma, poder dar esse exemplo é um motivo de grande satisfação”.

Tiago Teotónio Pereira, ator e surfista
“Penso que o problema da poluição está à vista de toda a gente. Fala-se disso em todo o lado, nas redes sociais, nas revistas… O plástico é um problema cada vez maior e está cada vez mais presente na vida das pessoas. Mas já vejo muitas pessoas a saírem da praia e a levarem sacos cheios de lixo. Sempre fiz isso, sempre apanhei o lixo que está à minha volta quando vou à praia. Penso que se toda a gente levasse o máximo de lixo que conseguisse só numa ida à praia iria fazer a diferença. Estas iniciativas são importantes. Quando vês muita gente junta em prol desta iniciativa percebes que é importante e fundamental lutar pela causa, de forma a preservar o oceano e o nosso ecossistema”.

Manuel Sá Pessoa, ator e surfista
“Qualquer iniciativa que seja em prol da preservação do meio-ambiente é de louvar. Seja nas praias, campos ou cidades. Penso que a consciência ambiental deve partir de cada indivíduo, a favor dele próprio, mas também dos outros que estão à volta. Existem uma série de questões, como por exemplo as beatas deixadas na praia ou o lixo causado pelos pescadores, em que tem de haver uma consciencialização ambiental muitíssimo maior, acima de tudo de respeito. Os surfistas são dos maiores amantes do mar e deverão ser os primeiros a dar o exemplo. Vai ter que ser “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura…”, mas vamos ter de chegar lá”.

Manuel Cotta, surfista local e empresário
“As iniciativas ambientais são sempre excelentes iniciativas. O lixo que está no mar é das coisas mais difíceis de juntar e recolher nas praias. Nesse sentido, se toda a gente tivesse este tipo de iniciativa a mudança seria muito grande. O impacto seria enorme. Penso que há uma consciencialização cada vez maior acerca disso. A presença dos surfistas nestas iniciativas é, obviamente, muito importante. Os surfistas estão sempre nas praias, por isso, provavelmente, somos nós que conseguimos que estas iniciativas tenham maior impacto. Hoje em dia já começamos a perceber que em pouco tempo conseguimos juntar quilos de lixo e ter estas iniciativas pode fazer toda a diferença. Se formos fazendo muito aos pouquinhos vamos conseguir ter um impacto positivo.”

Na sexta-feira, dia 6 de Julho, a ação de limpeza vai contar com a presença de crianças da CCD Sintrense, Junta de Agualva Mira Sintra, União de Freguesias de Sintra, APDJ – Queluz, AE Leal da Câmara e Saber Mais – Visconde Juromenha e realizar-se-á entre as 10 e as 16 horas. No sábado, dia 7, a ação de limpeza de praia é aberta a todos os voluntários que tenham o interesse em participar.

A Liga MEO Surf elegeu a sustentabilidade ambiental como tema transversal da edição de 2018, realizando, com o apoio da Fundação PT e pela primeira vez em Portugal, uma iniciativa de limpezas de praia consertada a nível nacional. Inclui dinâmicas de educação e sensibilização ambiental, tudo sob a coordenação da Plastic Sun Days. No Allianz Sintra Pro a ação contará ainda com o Movimento Claro Sintra como parceiro local.

Graça Rebocho, Diretora da Fundação PT
“Nesta etapa, a participação ativa de 300 crianças de instituições do concelho de Sintra, tanto na recolha como na seleção e reaproveitamento lúdico e artístico de lixos marinhos, irá reforçar o objetivo do apoio da Fundação PT à Associação Nacional de Surfistas durante a Liga MEO Surf  2018, que pretende não só ajudar a preservar o equilíbrio ecológico destas praias, como também motivar os jovens e, pelo exemplo, os menos jovens, a adotarem novos comportamentos no seu dia-a-dia. A sustentabilidade ambiental das praias é uma questão de cidadania que toca a todos e, por isso, continuamos a fazer a nossa parte: assegurar a recolha de lixos e o seu reaproveitamento nos locais onde decorrem estas provas de surf e motivar a população a seguir este exemplo….”.

Todas as etapas da Liga MEO Surf têm transmissão em direto em www.ligameosurf.pt e no Facebook do MEO, em complemento com as plataformas oficiais da Associação Nacional de Surfistas em www.ansurfistas.com e nas redes sociais @ansurfistas.

A Liga MEO Surf 2018 é uma organização da Associação Nacional de Surfistas e da Fire!, com o patrocínio do MEO, Allianz Seguros, Renault, Somersby, Moche, Rip Curl e da Câmara Municipal da Figueira da Foz, a Fundação PT como parceira ambiental, e o apoio técnico da Federação Portuguesa de Surf.

Comentários