Falta menos de uma semana para ficar decidido o título campeão da Liga MEO Surf de 2019. Ao contrário do passado, este ano apenas dois surfistas chegam à derradeira etapa na disputa, Tomás Fernandes e Miguel Blanco. Os dois são membros da mesma geração, cresceram no mesmo grupo de treino e agora disputam o mais importante título do surf português. Miguel trás consigo a experiência de ter vencido em 2018 enquanto que Tomás vem na liderança e tem a capacidade de “selar o negócio” independentemente do resultado do seu adversário. A ONFIRE falou um pouco com Tomás Fernandes para saber quais são as suas expectativas…

Faltam poucos dias para começar uma das provas mais importantes da tua carreira, como é o teu estado de espírito?
É o melhor, a lutar pelo título tal como no ano passado mas desta vez estou na frente que me dá mais confiança.

O requisito para a garantir o título é algo que está na tua cabeça ou nem por isso?
Claro que sei os vários cenários necessários para alcançar o titulo e só  dependo de mim mesmo para ser campeão por isso vou para o campeonato surfar heat a heat.

O que achas que o título nacional pode fazer pela tua carreira neste momento?
Mais do que tudo vai-me recompensar pelo trabalho e empenho que coloco em cada dia que me levanto para ir treinar,  depois naturalmente o reconhecimento e a visibilidade que o titulo traz será muito importante para a minha imagem, perante o público e os meus patrocinadores.

 

 

O que se segue? Estás pronto para voltar ao circuito QS ou os objectivos são diferentes?
Depois do fim da liga em conjunto com o meu treinador e o meu patrocinador vou delinear o meu 2020, mas de certeza que irei  fazer provas do QS, as etapas da Liga e viagens.

Tu e o Miguel (Blanco) são da mesma geração e têm o mesmo treinador. O facto de estarem a disputar este título obrigou a alguma adaptação da vossa rotina?
Eu este ano estou mais focado na liga e menos nos QS por isso estou a preparar-me da mesma forma que o fiz para as outras quatro etapas.

Como é estar a disputar algo tão importante com um surfista com quem cresceste e contra quem já competiste dezenas de vezes?
Qualquer  surfista do top 10 da liga MEO tem um nível de surf muito bom o Miguel é um deles por isso será sempre um desafio. O nosso passado foi recheado de bons momentos e eu e o Miguel acima de tudo já nos divertimos muito, agora dentro de água cada um vai dar o seu melhor e lutar para sair vencedor.

Este ano mostraste uma maturidade diferente na Liga MEO Surf, consegues apontar ao que se deve?
Eu comecei a competir aos 9 e tenho 23 durante esse tempo nunca parei, havendo anos que fiz campeonatos de esperanças, Liga MEO, Pro Juniores e QS. Por um lado deu-me experiência mas por outro fui acumulando um certo cansaço e este ano decidi focar-me mais a nível nacional e abrandar um pouco o ritmo dos QS, das quatro provas da liga ganhei duas e fiquei em segundo no Amado o que me faz ser líder do ranking. Tracei um plano para ser campeão nacional e espero alcançá-lo.

 

Comentários