O surf surgiu no Havai e lentamente foi chegando a quase todo o mundo. Os EUA (continente), o Havai e a Austrália têm sido as grandes potencias desde que saiu das ilhas enquanto que o Brasil era um país emergente neste meio.

No entanto é o país que mais tem evoluído nos últimos tempos e actualmente domina os mais prestigiosos circuitos de surf do planeta, fazendo dele, neste momento a grande superpotência de surf do planeta

11 razões que colocam o Brasil como a actual superpotência de surf do mundo:

1 – O campeão mundial da WSL em título é brasileiro.

2 – O actual líder do circuito mundial de 2015 é brasileiro.

3 – Os últimos três vencedores do prestigioso evento Prime QS 10.000 de Lower Trestles, uma etapa de surf high performances localizada no coração da industria, são brasileiros (Filipe Toledo em 2015, Gabriel Medina em 2012 e Miguel Pupo em 2011)

4 – Entre as três etapas do WCT realizadas em 2015 todas tiveram surfistas brasileiros na final, quem venceram duas delas.

5 – O campeão em título das míticas etapas de Fiji e Teahupoo é brasileiro.

7 – Todos os (6) surfistas brasileiros no WCT de 2015 estão neste momento dentro da bolha da qualificação é o provável que no fim do ano se mantenham (e que o número aumente).

8 – Ítalo Ferreira é o surfista mais bem classificado entre os rookies do tour.

9 – Silvana Lima é a única surfista brasileira no WWCT mas foi responsável pelas duas únicas notas 10 do circuito feminino e é neste momento a surfista mais impressionante do tour.

10 – Desde 1998, ano em que a WSL criou o circuito júnior, 6 surfistas brasileiros foram campeões mundiais, totalizando 7 títulos em 16 disputados. A Austrália, com 4, é o segundo país com mais títulos. Os EUA (continente) têm zero campeões. Houve ainda 3 vice-campeões mundiais.

11 – Também a nível de tube riders o Brasil está bem servido. Bruno Santos venceu o WCT de Teahupoo, vários WQSs, um special event em Portugal e vários WQSs. O saudoso Ricardo dos Santos venceu o prestigioso evento da Surfline, Wave of the Winter, contra surfistas do mundo todo no Havai, e o Andy Irons Award pela sua prestação do WCT de Teahupoo.

Tirando a Vans Triple Crown of Surfing e o The Quiksilver in Memory of Eddie Aikau, pouco mais falta a nível de títulos ao surf brasileiro. Tudo isto prova que, neste momento, o Brasil é a grande Superpotência do surf mundial!

Comentários

Um comentário a “Será o Brasil a potência número 1 do surf mundial?”

  1. rex diz:

    otima materia the brasilians storm