Durante grande parte dos últimos três anos os portugueses têm liderado o circuito Pro-Junior Europeu. Filipe Jervis esteve à frente em 2010 e Vasco Ribeiro em 2011 e 2012. Mas esse título já esteve “cá”. Quando este circuito apareceu pela primeira vez na Europa Tiago Pires tinha 18 anos e 3 “tiros” pela frente para conseguir esse importante título, os anos de 1998, 1999 e 2000. Em 98, quando o circuito começou, o seu impacto foi tão grande que o (então) brasileiro Eric Rebiere veio morar para a Europa e aí relançou a sua carreira como profissional. Miky Picon já tinha começado a correr o WQS mas, devido a um arranque menos bom, viajou para a Inglaterra (local da primeira etapa) para “recuperar o ânimo”.

O grande vencedor dessa primeira etapa foi Patrick Beven, seguido de Tiago Pires e de Picon. Ruben Gonzalez e David Luís também tiveram resultados sólidos. Entre a primeira e a última etapa muita água correu. Saca esteve sempre pertíssimo do primeiro lugar, David fez uma final e Ruben vários quintos lugares. Na derradeira etapa, em Ribeira D’Ilhas, Beven tinha o título quase garantido e quando chegou à final sagrou-se campeão.

Saca deu um show na final, vencendo e garantindo o segundo lugar no circuito. Ruben fez um pequeno milagre pois, com o segundo lugar na etapa, juntou pontos suficientes para passar para sexto lugar, garantindo assim a presença no mundial júnior no Havai. David acabou no top10 também. Picon também garantiu presença no Havai e não acabou o ano sem garantir o título Open Europeu (EPSA), repetindo-o no ano seguinte.

Em 1999 nomes como Ruben, Picon, Beven, Fuentes, Rebiere e outros deixaram de ter idade para disputar este circuito e Tiago, na altura já noutro nível, venceu facilmente deixando Kepa Acero em segundo lugar. Nesse ano também David Luís garantiu presença na finalíssima. Em 2000 Saca já tinha dado outro grande salto qualitativo e deu prioridade ao WQS. Mesmo assim apareceu na última etapa, mais uma vez em Ribeira D’Ilhas, e deu uma combinação aos seus adversários na final.

No fim desse ano disputou o ASP World Junior Championships, acabando em segundo lugar. Umas semanas mais tarde, e com os mesmos calções verdes que tinha usado para se sagrar vice-campeão do mundo em Makaha, Saca espantou o mundo ao ficar em segundo lugar na última etapa do WQS, um 6 estrelas em Sunset. Caso tivesse acabado um lugar à frente teria entrado no WCT no fim deste seu primeiro ano a sério no WQS, mas acabou por ter de esperar mais uns anos para conseguir esse feito.

Outro que conseguiu o título Europeu foi Marlon Lipke mas fê-lo com a nacionalidade alemã. Quando será que o título regressa ao nosso país?

Comentários

Os comentários estão fechados.