Como é a tua surf trip de sonho? Será uma boat trip para surfar ondas perfeitas nas Maldivas com os teus amigos? E se nessa viagem tivesses as tuas ondas captadas e analisadas por um dos melhores treinadores de surf do país? Parece bom de mais para ser real, mas é possível. Kike Lenzano é conhecido pelo seu trabalho com alguns dos melhores surfistas do país, como Tomás Fernandes, Luís Perloiro e Jácome Correia, mas o seu acompanhamento chega a surfistas de todos os níveis. É o que acontece na viagem “Maldivas com Kike Surf Coach”, em que o surfista comum pode usufruir do seu conhecimento e evoluir enquanto surfa ondas perfeitas. A ONFIRE falou com Kike para saber um pouco mais sobre este projecto inédito no nosso país…

O que é o projecto “Maldivas com Kike Surf Coach”?
É um projecto que surge com o intuito de proporcionar aos participantes a oportunidade de surfar e evoluir em ondas perfeitas, mais especificamente nas Maldivas. Este local apresenta o cenário ideal para a evolução ou seja, ondas iguais onde se pode repetir as mesmas manobras várias vezes, o que acaba por contribuir para a evolução das pessoas.

Que níveis de surfistas podem fazer essa viagem e de quantas pessoas são os grupos?
Tem que ser a partir do nível intermédio, qualquer surfista que pratique surf com short board, que domine tanto o surf de frontside como de backside e que tenha os skills para aproveitar uma onda do início ao fim. Isto é mais direcionado para o surfista comum, não é para o miúdo que já treina e quer ser campeão. É mais para o surfista que faz surf normalmente e que se identifica com esta oportunidade como forma de evoluir no seu surf. São pessoas normais, com faixas etárias entre os 25 e os 50 anos, e o grupo tem o limite de 8 participantes.

Quantos dias é a viagem e que picos surfam?
A viagem propriamente dita tem 8 dias de surf, com 3 surfadas por dia, duas com analise de vídeo e mais uma sessão de free surf. Os picos são os do Atol Central, passamos muito tempo em Jails, Honkeys e Sultans e também fomos um pouco mais para norte, a Cokes e Chickens.

 

Preferes treinar nas esquerdas de Honkys ou…

 

Como é a rotina do dia a dia no barco?
O dia começa uma sessão de free surf das 5:30 da manhã até às 8. Como é logo cedo de manhã e há pouca luz aproveito para também ir para dentro de água e dar um feedback mais directo aos participantes. Depois regressamos ao barco, há pequeno almoço e seguimos vamos para a primeira sessão de treino, onde eu vou para terra captar as imagens em vídeo. Aí as pessoas fazem surf durante aproximadamente duas horas e meia. Regressamos ao barco e há o almoço, análise das filmagens e feedback. Há um período de descanso, alongamento, recuperação e hidratação e depois voltamos ao treino onde eu faço outra vez filmagens da sessão para posterior análise. É muito compacto e intenso no sentido em que as pessoas conseguem surfar as ondas, analisá-las e têm a oportunidade de melhorar o que há para melhorar e, no fim, concluir o dia com mais uma análise.

 

…nas direitas de Jails?

 

Podes dar um exemplo do tipo de feedback que dás aos surfistas?
Um dos erros mais comuns deste primeiro grupo que fez a viagem tinha a ver com a pouca utilização do tronco, ou seja, ficavam muito quietos enquanto iam na onda, o que não lhes permitia desenhar curvas muito amplas. Eu fiz uma demonstração através da análise de vídeo para criar uma consciência do movimento do corpo e no decorrer da viagem fui notando grandes melhorias.

E como é a evolução técnica ao longo da viagem? Vê-se uma progressão do início para o fim ou é algo que só se vê mais a médio/longo prazo?
Vê-se logo. Eu adoro as Maldivas por isso, são em média 8 ou 9 horas de surf todos os dias e há uma grande diferença entre o início e o fim. Até fizemos essa parte comparativa com alguns integrantes da primeira viagem, entre o primeiro e último dia. Como as ondas são iguais, uma pessoa não tem que estar sempre preocupada em mudar ou alterar como num beach break, onde a onda é imprevisível e a leitura é mais difícil. Uma vez que surfam os 3 ou 5 picos que há nesta zona as características da onda são conhecidas e como são pessoas já têm algum nível de surf a evolução é bem notável.

 

Um dos integrantes do grupo de treino da primeira viagem a aprimorar as suas curvas.

 

Há um acompanhamento anterior à viagem? Uma análise do material técnico ou outros detalhes?
Sim, há um briefing feito nas instalações da Take Off Surf Travel que é para falar das pranchas e de outros detalhes.

Quando é a próxima viagem e como se pode saber mais informações e fazer uma marcação?
É de 24 de Junho a 3 de Julho e podem fazer as reservas no site da Take Off Surf Travel (AQUI).

 

Comentários