Frederico Morais no “Hot Seat” | Mini-Entrevista + Vídeo exclusivo

publicado há 4 anos por 0

FREDERICO-MORAIS-MINI-ENTREVISTA-HOT-SEAT

Foi a sexta vez que entrevistámos Frederico Morais em menos de 18 meses, mas o que podemos fazer? Este surfista está em grande evolução e tem tirado grandes resultados constantemente! Em Peniche, durante o Montepio Peniche Pro by Rip Curl, Frederico conseguiu uma das mais incríveis vitórias dos últimos tempos, vencendo por combinação. Por isso em vez de lhe fazermos as perguntas “da praxe” decidimos “apertar” um pouco com ele e colocá-lo no “hot seat”!

Kikas, fazer-te Mini-Entrevistas começa a ficar cansativo, não está na altura de dar oportunidade de ganhar aos outros?
(risos) Acho que é um bom sinal, estar a ficar cansativo, pelo menos para mim, mas espero que as pessoas gostem também!

Achas que a vitória foi justa?
Pelas notas achei que sim, mas espero que o publico tenha achado o mesmo (risos). O Miguel Blanco mostrou óptimo surf e tenho a certeza que um dia vai ser ele a vencer!

Sei que prancha que usaste é a tua “mágica” mas já está com um certo desgaste, não te sentes tentado a usar outra?
A prancha já tem mais de um ano, é uma Al Merrick que me tem vindo a dar muitas vitórias e é “mágica” até este tamanho de mar. Mas sim às vezes sinto-me tentado a usar outra, encomendei agora três iguais e parece que são boas mas tenho confiança nesta prancha e sei que não me vai deixar ficar mal!

A etapa anterior correu-te mal, sentiste a necessidade de vir cá “apagar” esse mau resultado?
De certa forma sim, deixa-me completamente frustrado perder naquele round, daquela maneira, mas foi culpa minha, vacilo meu, não sequer foi o mar. O mar estava igual para todos e as ondas naqueles 20 minutos, se as escolhermos bem, são nossas. E claro que queria tentar voltar a agarrar o surf e bons resultados que tinha mostrado nas outras etapas.

Deste combinação ao teu adversário, consideras esta uma das tuas maiores vitórias na Liga?
Foi das melhores vitórias que já tive, não só porque estava a divertir-me dentro de água durante aqueles 35 minutos mas também pelo surf que mostrei, fiquei orgulhoso de mim mesmo porque acho que me consegui superar.

Descreve como geriste a final…
Pela maneira como o Miguel surfou ao longo do campeonato era obvio que não iria vacilar, então sabia que tinha de começar bem o heat, que foi o que fiz com um 8.5. Depois fiquei na segunda prioridade e sabia que tinha de arranjar um back up para o deixar um bocado mais nervoso, sabendo que precisava de um score mais alto. Acabou por ser um 7.5, a partir daí foi tentar superar-me cada vez mais e felizmente isso saiu bem e fico contente por isso.

Actualmente estás mais dedicado ao WQS, conta como tem sido?
Tem sido bastante positivo, durante este ano. Tive agora uma derrota um bocado pior no México mas também se aprende com as derrotas e se conseguir ultrapassar estas derrotas vou me tornar muito mais forte. Sexta-feira vou para El Salvador para uma etapa 6 estrelas e espero ter um bom resultado.

Não ficaste tentado a fazer tudo de seguida?
Preferi vir a Portugal, acho que às vezes faz bem vir a casa para estar um pouco com a família e amigos, o campeonato que houve agora era uma etapa de 4 estrelas, não dá muitos pontos, por isso optei por vir cá competir na Liga Moche.

Estás muito perto de conseguir o teu primeiro título da Liga MOCHE, sabes o que precisas para ganhar (Nota – Se Frederico ficar em 13º ou melhor na próxima etapa será automaticamente o vencedor do circuito)?
Já me disseram mas eu prefiro não pensar nisso, quando uma pessoa relaxa é quando acontecem os piores resultados. Por isso vou tentar manter o ritmo com que estou agora e vou lá para ganhar!

Comentários