O circuito de qualificação de 2018 chegou ao fim e o Championship Tour da WSL de 2019 já tem a sua lista de integrantes fechada. Fica a conhecer os novos surfistas do mais importante circuito de surf do mundo!

Nome: Soli Bailey
Idade: 23
Local: Suffolk Park, Austrália
Patrocínios: O’Neill, Oakley, Kustom, Shapers Fins, SkullCandsy, Channel Islands Surfboads

 



Resultados em 2018: 5º lugar Vans World Cup of Surfing (QS 10.000), 9º lugar Hawaiian Pro (QS 10.000), 9º lugar EDP Billabong Pro Ericeira (QS 10.000), 9º lugar Ballito Pro (QS 10.000), 25º lugar Vissla Sidney Surf Pro (QS 6.000),

Soli Bailey é uma das mais surpreendentes caras novas do Championship Tour de 2019. O australiano passou um teste que muitos não superam, fazer uma boa transição júnior de destaque para surfista de elite. Talvez para se salvaguardar nestes anos difíceis de transição, onde muitos acabam sem patrocínios, Bailey saiu do grupo de super groms da Billabong, ao lado de Jack Freestone, Ryan Callinan, Frederico Morais e muitos outros, para se juntar a uma equipa com menos team riders, a O’Neill, mas onde conseguiu “brilhar” e manter-se com uma grande marca. A sua evolução no ranking QS foi passo a passo, tendo em 2017 conseguido abrir o ano com uma vitória numa das mais importantes etapas do tour, o Volcom Pipe Pro.

No passado faltaram-lhe resultados consistentes nas provas mais valiosas, algo que conseguiu fazer muito bem em 2018. Três 9ºs e um 5º em provas de 10.000 pontos foi tudo o que precisou para se qualificar, ficando no entanto a contar ainda com uma das pontuações mais fracas entre os newcomers, um resultado de 700 pontos no seu top5.

O que se deve esperar de Soli Bailey em 2019?

Soli poderá ser o dark horse do ano. Com resultados e performances menos impressionantes que a maior parte dos nomes do circuito o pequeno aussie até é um surfista bastante forte. O seu ponto forte são claramente as condições pesadas e ou tubulares, mas o seu surf em ondas mais performances poderá também dar que falar. Se se conseguir “encontrar” neste ano de estreia poderá até disputar o “rookie of the year” pois tem claramente potencial para o fazer “pelas beiradas”.

 

Comentários