O circuito de qualificação de 2018 chegou ao fim e o Championship Tour da WSL de 2019 já tem a sua lista de integrantes fechada. Fica a conhecer os novos surfistas do mais importante circuito de surf do mundo!

Nome: Jack Freestone
Idade: 26
Local: Tweed Heads, Austrália
Patrocínios: Billabong, Creatures of Leisure, Villager Goods, Epokhe, Nixon, Pyzel Surfboards

 

 

Resultados em 2018: 2º lugar Ballito Pro (QS 10.000), 13º lugar Vans World Cup of Surfing (QS 10.000), 33º lugar Hawaiian Pro (QS 10.000), 37º lugar Vans US Open of Surfing (QS 10.000), 25º lugar Ichinomyia Chiba Open (QS 6.000),

Como dois títulos mundiais na categoria júnior Jack era a grande esperança aussie da sua geração. Esperava-se que se juntasse a nomes como Burrow, Parkinson, Fanning e companhia a manter a tradição australiana e disputar alguns títulos mundiais. Mas não aconteceu, Freestone só conseguiu a primeira qualificação para o Championship Tour aos 24 anos e nunca chegou a cumprir o que se esperava dele nos dois anos que esteve na elite.

Depois de sair do CT em 2017 pouco se esperava dele. Para agravar a sua situação, Jack foi pai em 2018 e foi obrigado a dividir o seu foco competitivo com a experiência de criar um filho juntamente com outra surfista profissional, a conhecida Alana Blanchard. Nos vídeos produzidos pela havaiana os dois surgem regularmente com cara de quem teve poucas horas de sono e com dificuldades nas preparação para as provas. Este teria sido mais um ano fraco para Freestone caso não tivesse feito um segundo lugar numa prova QS 10.000, o que o deixou numa boa posição. Mesmo assim os seus restantes 4 resultados foram abaixo do que se esperava e, apesar de ter acabado na 13º posição do ranking, bem pode agradecer à sua “estrelinha”. Isto porque a sua diferença de pontos para o 12º classificado é invulgarmente alta, 2.700 pontos, enquanto que uma mão cheia de competidores ficaram menos de 1.000 pontos atrás. Curiosamente Jack deu um “salto” a nível de popularidade, e classificou-se em segundo lugar no Surfer Poll Awards, atrás apenas de John John Florence, enquanto que Alana venceu a categoria feminina.

O que se deve esperar de Jack Freestone em 2019?
Nos seus dois anos no CT, 2016 e 2017, Jack conseguiu dois resultados muito fortes, um segundo no primeiro ano e um terceiro no segundo. No entanto acumulou um número impressionante de derrotas no round 2, 14 em 20 etapas. De facto o bicampeão mundial júnior nunca terminou em 9º lugar, o que significa que sempre que quebrou o “bloqueio” dos round 2 ou 3 acabou nas fases finais. Consistência deverá ser o seu foco em 2019, sendo bem possível acabar no top10 se conseguir manter o foco o ano todo.

 

Comentários