Apenas 16 surfistas se mantêm em prova para as fases finais do MEO Rip Curl Pro Portugal, 8 na prova masculina e 8 na feminina. Mesmo sem o líder do circuito na prova masculina e com a disputa pelo título adiada para o Havai, muitas das baterias que se vão realizar no último dia desta prova terão grandes implicações nas contas finais. Fica a saber mais sobre os confrontos do dia final:

Prova masculina
Heat 1: Jordy Smith x Kolohe Andino
Jordy tem hipóteses de sair de Portugal na liderança do tour mas, primeiro, têm que vencer esta bateria. Para passar Medina no ranking terá que vencer esta prova o que faz com que cada heat nos Supertubos seja dos mais importantes da sua carreira. Smith leva um leve favoritismo nesta disputa por ser mais completo que Andino e por ter experiência de já ter vencido provas, algo que tem iludido o norte-americano. Já o filho de Dino tem ao seu dispor um “arsenal” de manobras ligeiramente mais progressivo que as do sul africano, fazendo desta disputa, dependendo das condições, muito equilibrada.

Heat 2: Filipe Toledo x Kanoa Igarashi
Há muito em jogo também nesta bateria pois Toledo precisa de avançar para ficar com a liderança a Igarashi precisa do mesmo para se manter na disputa pelo título. O nipónico com residência em Portugal, Kanoa, tem um bom recorde contra “Filipinho” mas algumas das suas vitórias surgiram via interferência devido a erros que o brasileiro dificilmente repete. Filipe é o claro favorito à vitória desta bateria e da prova em geral mas o facto de não estar a competir no seu 100%, devido a uma lesão, e pelo nível competitivo que Igarashi tem apresentado ao longo do ano, o resultado está em aberto.

Heat 3: Caio Ibelli x Peterson Crisanto
Ao contrário de todas as outras nesta fase, esta bateria não tem qualquer implicação para o título mundial mas é das mais importantes das carreiras de ambos os surfistas. Tanto Caio como Peterson estão fora da bolha da qualificação, o primeiro por um lugar, o segundo por vários. Para Ibelli um 5º lugar já praticamente o garante no tour do ano que vem mas é bom que avance mais para ficar realmente seguro. Peterson precisa de mais e um 3º lugar pode ser a salvação. Ibelli é o favorito mas com tanto em jogo Peterson poderá tirar outro “coelho da cartola”, como fez contra Jeremy Flores, e roubar a vaga nas meias finais.

Heat 4: Ítalo Ferreira x Jack Freestone
Ítalo e Jack são companheiros de equipa na Billabong, o que fez com que se conheçam bem e já tenham viajado muito juntos. Ferreira precisa de vencer para chegar ao Havai na liderança, enquanto que Jack tem feito uma prova impecável, sendo um forte candidato à vitória final. O favorito é Ferreira, o campeão em título desta etapa e finalista da anterior mas Freestone tem mostrado potencial de “trocar as voltas” aos candidatos ao título e poderá começar já nesta bateria.

 

Prova feminina
Heat 1: Caroline Marks x Stephanie Gilmore
O dia de prova deve abrir com um dos maiores confrontos entre gerações de toda a prova, Marks VS Gilmore. Caroline precisa de chegar à final para se manter na disputa pelo título mundial enquanto que Stephanie, mesmo sendo sua companheira de equipa na Roxy, não é pessoa para oferecer heats. A experiência da 7x campeã mundial faz dela a favorita neste confronto mas o ritmo que Caroline tem apresentado e a vontade de conquistar o seu primeiro título mundial equilibram a disputa.

Heat 2: Sally Fitzgibbons x Tatiana Weston-Webb
O título mundial de 2019 é praticamente uma miragem neste momento para Sally, que precisa de vencer esta prova e esperar que a líder do circuito não chegue à final nos Supertubos. Mas Fitzgibbons não é pessoa de aceitar esse “roteiro” sem tentar dar tudo o que tem até ao fim. No seu percurso tem Tatiana, que já mostrou potencial de bater qualquer surfista deste circuito a qualquer momento. Neste caso Weston-Webb leva algum favoritismo para vencer a bateria mas não será fácil passar pela australiana.

Heat 3: Carissa Moore x Johanne Defay
Carissa está numa excelente posição para comemorar mais um título mundial em Portugal mas qualquer falha pode custar-lhe muito caro. A havaiana terá como objectivo chegar à final mas Johanne poderá deixá-la numa situação muito menos confortável. Moore é a clara favorita mas terá que fazer um heat sólido e não deixar Defay capitalizar nas esquerdas se quiser continuar a avançar nos Supertubos.

HEAT 4: Lakey Peterson x Nikki Van Dijk
Lakey tem pouca margem de erro tanto nesta como na prova que se segue. O seu objectivo terá que ser vencer esta prova, independente do resultado de Carissa. Felizmente o seu destino poderá até estar nas suas mãos uma vez que se passar encontrará com a líder do circuito nas meias finais. Mas primeiro terá que passar por Van Dijk que está num ano de poucos resultados expressivos e terá que mostrar mais do que o que tem mostrado ao longo da prova se não quiser ser facilmente derrotada por Lakey.

Acompanha toda a acção desta prova em directo AQUI a partir das 8:00 de sábado.

Comentários