No seu auge, Andy Irons não era o surfista mais popular do mundo. Por mais provas que ganhasse, por mais que puxasse os limites em free surf e competição, era por Kelly Slater que a grande maioria do publico torcia.

Foi depois da sua morte que muitos começaram a valorizar o talento e atitude do 3x campeão mundial, observando o desinteressante que o surf profissional se tornou nos anos seguintes. Andy falava sem “papas na língua”, ficando bem visível quando estava “em alta” e quando estava chateado, ao contrário do tom “intermédio” que passou a ser a norma em vitória ou derrota.

“Andy Irons and the Radicals”, um filme que será lançado algures ainda este ano pela Stab, irá abordar esse lado rebelde que o surf perdeu quando ficámos sem Andy e quando os seus amigos Cory Lopez e Chris Ward e o seu irmão, Bruce Irons, saíram de cena. Coming soon!!

Comentários