A história da Selecção Nacional nos ISA World Games

publicado há 2 anos por 0

O-HISTORIAL-DA-SELECCAO-NACIONAO-NA-ISA

A ISA (International Surfing Association) e os campeonatos organizados por esta entidade funcionam como uma espécie de jogos olímpicos para o surf, com legitimidade de coroar campeões do mundo. Apesar disso a WSL é o organismo que tem mais credibilidade no meio do surf, responsável pelo circuito onde os melhores entre os melhores disputam títulos mundiais.

A ISA tem cerca de 50 anos de existência e o formato tem vindo a ser adaptado ao longo dos anos. Até 2002 o evento era apelidado de mundial amador, sendo realizado de 2 em 2 anos e reunindo as categorias Open, Junior, Feminino, Longboard, Kneeboard e Bodyboard (masculino e feminino). A partir desse ano fez-se uma nova divisão, passando as categorias juniores (que entretanto juntaram categorias de sub16 e sub14 masculino e feminino sub18) para um evento separado, alternando cada ano com a categoria Open. Actualmente acontece todos os anos, em várias categorias, formatos e modalidades.

Foi em 1992, em Lacanau, França, que começaram as participações portuguesas e apesar de não ter havido nenhuma presença lusa nas finais a estreia foi positiva e Portugal ficou num sólido 9º lugar.

Dois anos mais tarde, na Barra da Tijuca, Brasil, Portugal repetiu o resultado e o grande destaque luso foi João Antunes, que terminou em 6º lugar. Mas foi a categoria júnior que mais impressionou, já que estava carregada de futuros tops do WCT como Kalani Robb (vencedor do evento), Andy e Bruce Irons, Cory Lopez, Neco Padaratz e ainda Luke Hitchings, Maz Quinn, Greg Emslie e Brian Hewitson.

No evento seguinte, em 1996, o campeonato foi em Huntington Beach, na Califórnia e Portugal melhorou a sua posição, acabando em 7º lugar. Mas a grande exibição portuguesa, até recentemente, foi em 98, quando o WSG passou por águas lusas, Carcavelos e Guincho. Tiago Pires fez história, terminando em segundo na categoria júnior, batido por muito pouco por Dean Morrison, e em conjunto com os pontos de Rodrigo Herédia (7º lugar) na categoria Open, às vitórias nas categorias de bodyboard e ao resto da equipa Portugal ficou num excelente 4º lugar.

Outros resultados sólidos da equipa portuguesa foram o 6º lugar quando o WSG júnior passou por Portugal (2008) e claro, as finais de Vasco Ribeiro nas categorias juniores (2º em 2011, 3º em 2012).

Até que em 2015 tudo mudou, a selecção nacional pela primeira vez disputou o título e acabou em segundo lugar atrás da Costa Rica (mais sobre este campeonato AQUI)!

Mais Curiosidades Surfisticas AQUI!

Comentários