5 grandes marcas de surf que desapareceram do line up | Parte 2

publicado há 2 anos por 0

5-grandes-marcas-parte-2

Como em qualquer indústria, também no surf grandes marcas chegam a dominar o mercado e eventualmente saem do “mapa” alguns anos depois.

Fica a conhecer a história de algumas delas…

Gotcha

Apesar de ter perdido destaque ao longo dos anos, a marca Gotcha era “A” marca de surfwear dos anos 80 e 90. Nascida no final dos anos 70, pela mão de um dos melhores surfistas da época, o sul-africano Michael Tomson, esta marca dominou o mercado durante duas décadas, sendo pioneira em várias frentes. Foi esta marca que praticamente inventou os fatos de banho que usas hoje, que até aí eram muito mais curtos e pouco confortáveis para surfar (e pouco simpáticos para as “jóias da família”).

Muito à frente do seu tempo a Gotcha patrocinou muito dos melhores surfistas de todos os tempos, incluindo Martin Potter, Matt Archibold, Dino Andino e uma grande “fatia” dos fora de série da época. Tão irreverentes como a roupa e o team eram as suas campanhas publicitárias, sempre polémicas e mediáticas. No mercado português a marca foi tão expressiva como a nível mundial, patrocinando grandes surfistas dos anos 90 como João Alexandre “Dapin”, Marcos Anastácio, Jorge Leote e, mais tarde, Pedro Monteiro “Pecas” e Ruben Gonzalez.

Há quem diga que a Gotcha saiu de moda e o que é certo é que Tomson foi perdendo o controle da empresa ao longo dos anos, que foi caindo “a pique” enquanto que outras marcas ganharam o seu espaço nas lojas. Em 2005, depois de “trocar de mãos” várias vezes, a marca foi vendida ao grupo Perry Ellis International mas é improvável que volte a ocupar o espaço que em tempos ocupou.

Quando começou a ser afastado da direcção da Gotcha, Tomson “entreteu-se” a criar outra marca dentro da empresa a More Core Division. E, durante vários anos, a MCD, o “lado core da Gotcha” caminhava em direcção ao sucesso, também apostando em grandes campanhas e surfistas fora de série. Matt Archibold passou então da Gotcha para a MCD e mais tarde o grande nome da marca seria Andy Irons, enquanto que em Portugal a grande aposta era um dos mais promissores surfista de uma geração, Hugo Zagalo. No entanto a MCD teria o mesmo futuro que a Gotcha, tendo praticamente desaparecido do meio do surf com excepção de alguns mercados específicos, como o Brasil, onde permanece com grande expressão!

Instinct

A Instinct foi a outra marca com origens sul-africanas que se tornou num gigante da indústria do surf a partir dos anos 80. O campeão mundial de 1977, Shaun Tomson, era primo de Michael e criou a Instinct e ainda a marca de pranchas Shaun Tomson no fim dos anos 70. As suas campanhas publicitárias eram também bastante invulgares para os parâmetros da época, tal como tudo o que envolvia a marca.

Em 1989 era a terceira maior marca de surf do mundo, sendo batida apenas pela Gotcha e Quiksilver. Tomson, além de representar a sua marca também dentro de água, tinha uma equipa sólida de surfistas como os ex-campeões mundiais Tom Carroll e Barton Lynch. Mas o mercado começou a mudar e a marca não se adaptou, caindo ano após ano até desaparecer.

Em 2006 houve uma tentativa de relançamento, o que acabou por não acontecer e este “ex-gigante” da indústria desapareceu por completo.

Mais grandes marcas que desapareceram do line up brevemente em www.onfiresurfmag.com

Comentários