O Verão tinha acabado! Para um surfista que ganha a vida a ensinar a arte das ondas é sempre uma fase de reflexão e um período onde se espera que haja mais tempo para poder surfar. Zulmiro não pensava assim. Tinha acabado de regressar de um tour de 1 mês e alguns dias por vários países da Europa. Noruega, Finlândia, Suécia, Alemanha e Holanda tinham sido alguns dos destinos escolhidos. O objectivo não se enquadrava no lado cultural e na sede de conhecimento, de importância vital para qualquer individuo que queira ser mais do que um bacalhau salgado. Zulmiro tinha levado a cabo um projecto ambicioso, um programa de ensino da sua autoria, designado de curso personalizado de take offs em terra firme. E nada como um quarto nórdico bem aquecido e preparado para o Inverno em substituição de uma sala de aula com água fria e vento gelado a gritar sou o offshore.

Durante o verão o artista tinha angariado muitas alunas para o curso e a lista era enorme. A previsão era de turmas cheias até ao inverno de 2020. Esta decisão de hibernação para bem longe das ondas era a melhor forma para evitar que fosse desmascarado pelos seus alunos numa qualquer sessão de free surf. E era precisamente esse assunto que o atormentava. Alguns dos seus alunos estrangeiros tinham adquirido casa em Portugal e já marcavam presença de forma assídua nas praias onde ele se passeava com as suas pranchas fofinhas. Surgiam convites a toda a hora para que os acompanhasse nas surfadas de inverno. Zulmiro sentia calafrios quando o abordavam com essas propostas. Chegava a ter pesadelos em que embicava vezes sem conta a sua prancha numa onda mole e era alvo de chacota de uma praia inteira, repleta de cabeças loiras e corpos com curvas. Curvas era coisa que Zulmiro não sabia fazer com a sua prancha. Havia dias que sonhava que era um homem do mar, mas lá pelas 12h, quando acordava, percebia que era um delírio provocado por mais uma noitada no inverno português.

Entretanto, os seus alunos criaram uma página no facebook com a mensagem – queremos surfar com o nosso professor!

E tu? Já criaste a tua?

To be continued…

João “Flecha” Meneses

Para ler mais textos de João “Flecha” Meneses vista o seu blog “Caderneta de Mar”.

Sobre o Autor:
João “Flecha” Meneses| Com quase três décadas de surf nos pés, “Flecha” enquadra dois adjectivos de respeito no surf, “underground” e “Soul” surfer. Originalmente local das ondas da Caparica, João tornou-se residente da Ericeira há mais de uma década e é um daqueles surfistas que não aceita insultos do “Sr. Medo”. Nos seus tempos livres é escritor de mão cheia e esta é mais uma excelente colaboração com a ONFIRE.

Comentários