Já terminou a primeira etapa QS 10.000 do ano, uma prova que abalou bastante o ranking. Pela diferença de pontuações, mais 4.000 pontos para o vencedor que as mais importantes etapas realizadas até agora, o Ballito Pro catapultou muitos surfistas para mais perto do topo do ranking. Um bom exemplo desta diferenciação de pontos foi o facto do eventual vencedor, Peterson Crisanto, ter saltado da 42º posição do ranking para a primeira, liderando apesar de não ter back ups fortes e ficando assim com fortes possibilidades de finalmente competir no Championship Tour.

Houve outras grandes subidas, Jack Freestone passou de 158º para o top5, Ricardo Christie e Thiago Camarão, entraram no top10, subindo 50 e 48 posições respectivamente, enquanto que Wade Carmichael subiu 461 posições, passando par ao 24º lugar do ranking.

Bem perto de Wade está Vasco Ribeiro que, com o seu 9º lugar em Ballito, subiu 52 posições, ficando em 26º lugar. Os 3.700 pontos que juntou nesta prova são o seu primeiro keeper, uma pontuação que realmente pode contribuir para que efectivamente consiga a qualificação para o CT, ficando, no entanto, a precisar de resultados ainda melhores para continuar a escalar o ranking.

Ainda no top100 estão mais dois portugueses, Miguel Blanco e Frederico Morais, nas 78º e 82º posições. Entre eles Blanco é quem está numa situação mais complicada pois apesar de ter “furado” o top100 do circuito este ano o seu seeding só entra em vigor a meio do ano, o que fez com que não tivesse possibilidade de competir em Ballito e ainda no US Open, outra QS 10.000. A ausência na prova sul africana fez com que caísse 21 posições no ranking e a prova norte-americana poderá empurrar o surfista de São Pedro do Estoril para o limite do top100.

O VANS US Open of Surfing realiza-se em Huntington Beach, Califórnia, entre 30 de Julho e 5 de Agosto.

Comentários