São poucos os surfistas profissionais que conseguem fazer carreiras inteiras como patrocinados da mesma marca, mas há alguns casos de grande longevidade. Bons exemplos de parcerias de longa data são as ligações entre a Billabong e Mark Occhilupo (36 anos), Fábio Gouveia e a Hang Loose (30 anos), Tom Carroll e a Quiksilver (30 anos), Lisa Anderson e a Roxy (28 anos) e, mais recentemente, Mick Fanning e a Rip Curl.

No entanto, com o actual estado do mercado, que terá como consequência uma diminuição no número de patrocinados, torna-se cada vez mais difícil, mesmo para surfistas de sucesso, manter as suas posições dentro das grandes marcas.

O ano de 2019 viu muitas mudanças de patrocínios, mas três despedimentos que aconteceram no primeiro trimestre destacaram-se de todos os outros.

Primeiro foi Pauline Ado, que deixou de ser patrocinada pela Rip Curl depois de quase duas décadas. A talentosa francesa, que recentemente venceu o Caparica Surf Fest Pro e fez parte do Championship Tour por 5 anos, comunicou a sua saída no início do Janeiro via instagram:
Todas as boas histórias têm o seu fim… Depois de 17 anos a minha colaboração com a Rip Curl está a chegar ao fim. Eles estiveram comigo desde o meu primeiro evento, até hoje. Obrigado por terem acreditado em mim, na minha carreira, e por me terem levado em surf trips com os meus ídolos. Muito obrigado a todas as pessoas nesta empresa que se tornaram mais que meus amigos durante esta aventura. Tendo dito isto, as minhas ambições não mudaram e não vejo a hora de começar a nova temporada.
Meses mais tarde, Ado estava novamente com o bico da sua prancha ocupado, passando a ter como main sponsor a marca Picture Organic Clothing, além de ter “fechado” também com o grupo “Europ Assistance”.

Um despedimento mais previsível foi o de Wiggolly Dantas. O power surfer brasileiro qualificou-se para o Championship Tour no fim de 2014 e aguentou alguns anos na elite mas nos últimos tempos os seus resultados baixaram bastante. Foi a meio de Fevereiro que Dantas comunicou o fim da sua ligação à Quiksilver.
Não tenho palavras para agradecer à família Quiksilver pelos últimos 20 anos. Ser parte da família foi uma das melhores coisas que já me aconteceram. Vocês acreditaram em mim, desde do meu começo. Parto para novos desafios, explorar novos horizontes, mas vocês sempre estarão no meu coração e mente. Obrigado por tudo.
Felizmente a construtura “Nosso Lar”, que patrocina surfistas como Miguel Pupo, Alex Ribeiro, Jesse Mendes, Alejo Muniz e Flavio Nakagima, e uma série de marcas mais pequenas vieram “ao resgate” o que permitirá a Wiggolly manter-se na disputa por uma vaga entre os melhores do mundo.

Mais a maior surpresa foi o fim da relação entre Courtney Conlogue e a Billabong. A californiana esteve lesionada no primeiro semestre do ano passado mas voltou em grande forma, vencendo duas das quatro últimas etapas de 2018 e uma das duas realizada em 2019, mostrando potencial de voltar a disputar o título mundial. Conlogue fazia parte da equipa há mais de uma década e, apesar do seu sucesso competitivo, poderá ficar sem outro patrocinador de longa data muito em breve. A marca de bebidas energéticas Rockstar é neste momento o seu principal apoio, mas consta que o investimento no surf está a chegar ao fim e à medida que os contratos forem terminando, poderão não ser renovados…

Fica atento a mais novidades em breve…

Comentários