Os circuitos de da WSL de 2019, QS e CT, já estão perto do fim mas muito ainda poderá acontecer. No entanto, se o tour acabasse hoje, esta seria a realidade para 2020.

O campeão mundial seria: Ítalo Ferreira.

O rookie do ano seria: Seth Moniz.

Qualificados pelo Championship Tour (top22) estariam os seguintes nomes: Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Filipe Toledo, Jordy Smith, Kolohe Andino, Kanoa Igarashi, Owen Wright, John John Florence, Jeremy Flores, Kelly Slater, Julian Wilson, Seth Moniz, Wade Carmichael, Ryan Callinan, Michel Bourez, Caio Ibelli, Jack Freestone, Adrian Buchan, Conner Coffin, Griffin Colapinto, Deivid Silva e Peterson Crisanto.

Qualificados pelo QS (top10): Jadson André, Yago Dora, Alex Ribeiro, Miguel Pupo, Jake Marshall, Frederico Morais, Jorgann Couzinet, Connor O’Leary, Samuel Pupo e Matt Banting.

Quem ficaria de fora: Willian Cardoso, Michael Rodrigues, Joan Duru, Sebastian Zietz, Ezekiel Lau, Jesse Mendes, Leonardo Fioravanti, Soli Bailey, Ricardo Christie, Adriano de Souza e Mikey Wright.

Quem teria mais probabilidades de receber um wildcard: A disputa mais uma vez teria (e terá) 3 nomes, Leonardo Fioravanti, Adriano de Souza e Mikey Wright. Os três têm legitimidade tanto em gravidade de lesão como em forma antes da lesão, o que deixará novamente a WSL com uma decisão difícil nas mãos se nenhum top22 se reformar do tour.

Quem já começa a ficar com hipóteses reduzidas de se manter: Ezekiel Lau, Jesse Mendes, Soli Bailey e Ricardo Christie têm muito terreno para recuperar.

E mais…

Como estariam os competidores portugueses: Frederico Morais estaria qualificado pelo top10 do circuito Qualifying Series. Neste momento encontra-se em 6º lugar do ranking mas ainda não tem a qualificação garantida para 2020, ficando a precisar de fazer uma pontuação sólida numa das etapas havaianas.

Novidades sobre próxima etapa brevemente AQUI

Comentários