Depois de quase 50 anos de autonomia a Rip Curl, uma das últimas grandes marcas independentes da indústria do surf, fundiu-se com uma empresa especializada no mercado Outdoor, a Kathmandu.

A Rip Curl surgiu na mesma empresa que criou a Quiksilver, inicialmente funcionando em conjunto, uma como marca exclusivamente de roupa (Quik) e outra como marca exclusivamente de fatos (Rip). Eventualmente seguiram por caminhos diferentes tendo a Quiksilver, décadas mais tarde, adquirido marcas como a DC Shoes, entretanto transformando-se no grupo Boardriders, que recentemente adquiriu a Billabong que, por sua vez, era detentora de marcas como a RVCA, XCEL, Element, VonZipper, entre outras.

As restantes marcas de referência de surf como a O’Neill, Volcom, Hurley, Vans e Reef já tinham saído das mãos dos seus fundadores e agora foi a vez da Rip Curl. Esta icónica marca pertencia a Brian Singer and Doug “Claw” Warbrick, dois dos fundadores “originais”, que venderam à Kathmandu, uma empresa da Australásia com cerca de 163 lojas de Outdoor, espalhadas pela Austrália e Nova Zelândia (e uma no Reino Unido).

De acordo com Xavier Simonet, CEO da Kathmandu, “a Rip Curl transforma a Kathmandu num negócio global de desportos ao ar livre e de acção, altamente complementar, sazonalmente equilibrado. A combinação apoiará a aceleração da expansão global das nossas marcas em novos canais e mercados. Compartilhando um foco em qualidade, inovação e sustentabilidade, Kathmandu e Rip Curl contribuem para um óptimo ajuste cultural. ”

A comunicação da Rip Curl menciona o seguinte: “As marcas vão continuar a operar de forma independente, procurando capitalizar os benefícios óbvios na fusão; combinando experiência para fornecer óptimas experiências de marca e produto para clientes que compartilham o mesmo amor pela aventura ao ar livre e estilo de vida do surf.”

Comentários