Foi em Fevereiro deste ano que o nosso país foi injustamente mal falado no meio do surf quando Dane Reynolds passou 48 horas numa cela no aeroporto. Muito rapidamente se percebeu que apenas se seguiu protocolo e se alguém esteve mal foi Dane, por ter perdido o passaporte, e a embaixada norte-americana, por ter demorado a agir.

Agora, 6 meses mais tarde, Reynolds contou o sua versão dos acontecimento a Occy, no 24º episódio da sua série Occ-Cast. Dane relatou o incidente da seguinte maneira: “Eu estava a voar para Portugal para ir ter com o Craig (Anderson), que já estava lá. Eu liguei-lhe e disse que Portugal ia estar divertido e ele ficou cheio de pica e foi para lá.

Tinha um evento da Vans que não podia falter e perdi uma parte do swell, mas ia à mesma. Tinha uma ligação na Inglaterra, apanhei o voo, entrei no avião e ao fim de duas horas acordei e saí do avião em Lisboa, todo “stoked”. Cheguei ao sítio onde tinha de mostrar o meu passaporte mas não o tinha.

Procurei na minha mala e não estava. Eu não sei se estava no meu colo (enquanto dormia) e alguém o roubou, ou se o deixei no avião, mas ligaram para a tripulação e eles disseram que não encontraram nada. E eu pensei, ok, vão me mandar de voltar a Londres. E de repente eles estão a inserir-me no sistema e a dizer que ia passar lá a noite.

E eu “ahh shit”, vou ficar num hotel do aeroporto ou algo assim, “whatever”. “Pensei, “tenho o computador, emails para responder, tudo ok”. Mas de seguida estão a pedir pelos meus atacadores e o meu telefone e estão a documentar tudo que eu lhes estava a dar. E eu, “ohh shit”, isto não vai ser divertido.

Colocaram-me numa cela e deixaram-me fazer uma chamada de dois minutos. Liguei à minha mulher e disse-lhe que não sabia o que se passava mas ia ser preso e estavam a tirar-me os atacadores. Por alguma razão foi algo marcante, pois achei que havia lá algum perigo, que alguém poderia usar como arma (risos).

Estive 48 horas incontactável e alguns surfistas locais tinham-se organizado e conseguiram-me uma escolta policial até à embaixada, onde me iam emitir um passaporte temporário. Os policias que me estavam a acompanhar estavam a estranhar, porque era muito invulgar haver tratamento especial. Perguntaram se eu era famoso e se iria aparecer alguma coisa se metessem o meu nome no Google.

Eu disse que achava que sim e quando o fizeram tudo o que aparecia era tipo “fuck Portugal, eles prenderam o Dane”. A história tinha explodido no meio do surf e eles disseram, “wow, é bom que digas bem de nós agora porque estamos a tratar de ti” (risos).

Entretanto estou fora da cela e vou ter com o Craig e o Brendon Gibbons e o swell já tinha acabado e durante 4 ou 5 dias estava nevoeiro, ondas pequenas e on-shore.”

E assim acabou a saga de Dane Reynolds em Portugal mas, mesmo assim, o norte-americano ainda produziu bastante material no nosso país. As imagens captadas em Portugal surgem a partir do minuto 3:40.

Comentários

Deixe uma resposta