Ao longo das últimas semanas as redes sociais têm sido inundadas com vídeos de surfistas a serem presos por surfar em países sul americanos como o Peru e o Brasil, a maior parte deles inseridos em posts no instagram.

Mas foi na América Central, mais especificamente na Costa Rica, que a situação parece ter descambado. Em vídeos partilhados pela Stab vê-se um surfista a ser perseguido pela polícia à borda de água, surfista este que fugiu e fez com que o polícia tenha dado dois tiros para o ar. Também um surfista profissional local, Noe Mar McGonagle, aparece a ser algemado e encaminhado para algum local, provavelmente para a esquadra.

 

 

Curiosamente uma das poucas pessoas no planeta que pode continuar a surfar sem estar em incumprimento, Kelly Slater, dono da piscina de ondas “Surf Ranch”, foi em defesa dos surfistas que têm sido perseguidos pela lei num comentário no instagram captado pela revista Stab. Kelly dava a seguinte opinião sobre o assunto: “Vi vídeos de pessoas esta semana que estavam a ser presas por estar a surfar sozinhos. Foram fisicamente retirados na água e da praia enquanto se vê pessoas a passear nos passeios, notavelmente em Bondi. Centros Comerciais foram abertos em alguns países mas o surf foi considerado ilegal. Alguém, em vez de atacar a pessoa, por favor dê uma razão racional porque as pessoas não podem surfar se mantiverem a sua distância. Estou aberto a esta discussão se houver um bom argumento.”

Apesar do 11x campeão mundial ter alguma razão no que toca a inconsistências, mas o que é certo é que tanto em Portugal como em muitos países os Centros Comerciais estão fechados, excepto para os estabelecimentos considerados essenciais, e mesmo os locais públicos estão fechados. Um bom/mau exemplo é Portugal, onde existe a proibição mas não está a ser exercida com força suficiente para desmotivar grande parte das pessoas a sair. Só a título de exemplo, a Praia da Cresmina, esta manhã, tinha cerca de 20 pessoas a surfar no mesmo pico. E mesmo a teoria de alguns surfistas, que tentam ir a horas de menos concentração e locais conhecidos, o que é certo é que com a quantidade de praticantes em casa, sem trabalho, não haveria costa para todos fazerem surf sem se cruzarem.

#stayhome

Comentários

2 comentários a “Proibição de surfar “escala” violentamente na Costa Rica”

  1. Kelly Slater diz:

    Cada vez gosto mais do Kelly!

  2. Fátima Perloiro diz:

    Falar de barriga cheia, é a expressão que me ocorre….o tão exemplar e ético Kelly podia então num ato de altruísmo e coerência abrir a quem quisesse a sua piscina de ondas…não vejo problema nenhum ele fica a controlar as entradas para não se juntar muita gente😂😂