O dia amanheceu (em Portugal) com uma das notícias mais polémicas da temporada havaiana, Tanner Hendrickson tinha agredido Michael Rodrigues.

Actos violentos da parte dos havaianos no North Shore (e não só) não são novidade e já foram vários os casos documentados de agressão a surfistas brasileiros conhecidos. Os que mais se destacam ocorreram entre Sunny Garcia e Neco Padaratz, Makua Rothman e Paulo Moura, Dustin Barca e Adriano de Souza e Jamie O’Brien contra Ricardo dos Santos. Ontem juntou-se mais um acto de violência a esta lista.

O acontecimento foi filmado e pelo que se consegue ouvir Michael já sabia que algo iria acontecer. O vídeo mostra o actual 14º do Tour a subir umas escadas enquanto comia uma taça de açai. No topo das escadas Tanner esperava-o e começou por lhe dar uma pancada na mão, que fez a taça “voar,” e, de imediato, atacou-o com vários murros durante algum tempo. No início da filmagem ouve-se os “amigos” de Michael a desafiarem-no para ir ao encontro de Hendrickson, brincado inclusivamente com o potencial de visibilidade que um vídeo do confronto entre os dois teria. Curiosamente, quando Rodrigues começou a ser agredido, nenhum dos seus “amigos” o defendeu ou sequer tentou separar e mesmo o camera man se afastou, perdendo grande parte da acção.

De imediato a WSL, que no passado não se envolvia muito neste tipo de “eventos”, suspendeu o havaiano, que estava colocado nos trials do Pipe Masters e é muito provável que este venha a sofrer uma forte sanção. Tanner encontrava-se sem patrocínio principal há vários anos e este seu acto possivelmente resultará no fim do que resta da sua carreira como surfista profissional.

Entretanto, mais informações sobre o tema começaram a surgir. Numa gravação de áudio que anda a “rolar” pela internet, Michael Rodrigues comentou o seguinte:”O Tanner já estava me enchendo o saco há muito tempo e ali, quando subi as escadas, deu um tapa no meu açai, começou a confusão e os caras não fizeram nada. É normal, nesse mundo é normal, um cara não tem muitos amigos. Mas está de boa, estou resolvendo essas parada com a WSL, não revelei nada, só me protegi, tem vídeo e é só esperar para ver no que vai dar. É nóís, galera, fica tudo tranquilo“.

Em poucas horas o instagram de Tanner foi “inundado” com mensagens vindo do Brasil com todo o tipo de insultos e ameaças. A ONFIRE teve acesso a uma mensagem entre Hendrickson e uma fonte não identificada via “Direct Messege” no instagram, em que o havaiano se defendia das acusações de violência gratuita. O individuo com quem Tanner trocou as mensagens era, no entanto, brasileiro, e começou a conversa com o seguinte frase, “nós vimos o vídeo mas todos sabemos que tens a razão“, “o amigo dele estava a filmar.” Hendrickson respondeu a dizer o seguinte: “Obrigado, sim, ele estava sempre a dizer fuck you e nunca me mostrou qualquer respeito. Eu tentei falar com ele e resolver o problema em Portugal mas ele disse-me fuck you novamente. Depois vi ele estava manhã armado em punk e não aguentei mais.” Entretanto a site da STAB aprofundou mais o tema, tendo inclusivamente entrevistado Tanner, que comentou que toda a situação foi provocada pelo brasileiro (podes ler o artigo completo AQUI)

Aparentemente tudo começou quando Tanner alegadamente falou mal das ondas do Rio de Janeiro e dos surfistas locais, algo que começou a tensão entre ele e Michael, que resultou no que se pode assistir abaixo.

 

Comentários

Os comentários estão fechados.