Durante muito tempo, fazer a capa de uma revista de surf era o ponto alto da carreira de um surfista profissional, principalmente em países como Portugal onde era possível fazer uma carreira sem sair da Europa.

Antes da internet e redes socais terem a dimensão que têm hoje em dia, os patrocínios eram decididos pelos resultados no circuito nacional e fotografias na revista. Quem tivesse uma capa tinha praticamente o ano feito e o contrato renovado. A ONFIRE esteve nas bancas bimestralmente durante quase 14 anos, focando-se principalmente nos surfistas lusos, tanto na capa como no seu interior. Fica a conhecer quem foram os surfistas que fizeram mais capas ao longo das 78 edições da ONFIRE…

 

Frederico Morais – 6 capas
Kikas fez a sua primeira capa em 2007, com apenas 15 anos e devido à sua proximidade com o principal fotografo de surf em Portugal, o residente da ONFIRE Carlos Pinto, e à sua evolução chegou a um ponto que tínhamos em arquivo imagens para fazer capas em quase todas as edições. Muitas delas acabavam no interior da revista mas destacavam-se em comparação com a capa. Além de ser o recordista de presenças na “portada”, Frederico é o único a ter uma imagem de lifestyle como capa da ONFIRE e apareceu pela última vez na capa na edição 74, em 2015.

 

 

Tiago Pires – 5 capas
Saca era de longe o melhor surfista de Portugal durante grande parte do tempo de existência da ONFIRE, mas nem sempre era fácil encontrar imagens para capa deste surfista. Isto porque não só Tiago passava muito tempo fora do país em competições como a fasquia para ele era um pouco mais alta, já que estava num patamar muito acima de todos os outros surfistas lusos. Um fato curioso foi que, quando saiu a sua primeira capa, em Janeiro de 2004 (mais sobre essa edição AQUI), verificamos um pico nas vendas, confirmando que ter o “maior” do surf português na capa era rentável.

 

 

4 capas
Marlon Lipke & Nicolau Von Rupp
Ambos os luso-germânicos tiveram 4 capas, sendo a primeira de cada um pouco expressiva. A primeira de Marlon foi também a primeira da carreira dele, algo que se tinha em conta como critério, e, numa época inicial, em que a ONFIRE ainda não dominava o mercado, nem sempre recebíamos o melhor material. Já a de Nicolau não houve grande desculpa, foi em muitos aspetos uma escolha infeliz. Pouco tempo antes Josh Kerr tinha inventado um aéreo novo, o Kerrupt, e uma tentativa de um por Von Rupp acabou na capa.

 

3 capas
Justin Mujica, Filipe Jervis & Pedro Boonman

 

2 capas
Vasco Ribeiro, Francisco Alves, Zé Ferreira, Ruben Gonzalez, João Guedes, Miguel XimeneZ, Nuno Telmo, David Luís, Paulo Almeida, Tomás Valente, Edgar Nozes e António Silva.

 

1 capa
Marcelino Barros “Bizuka”, Vasco Spínola, Paulo do Bairro, Nuande “Pekel”, Ivo Santos, Pedro Soares, Nuno Silva , Aécio Flávio, Luca Guichard, José Gregório, Melvin Lipke, Pedro Pinto, “Kalu” Oliveira, Miguel Mouzinho, Eduardo Fernandes, Tomás Fernandes, Diogo Appleton, Manuel Cotta, Miguel Blanco, Alex Botelho e Dane Hall

 

Capas com line ups ou surfistas na identificados – 5

 

Podes ler mais sobre o historial da ONFIRE AQUI!

Comentários