Praticamente desde os primórdios do surf competitivo, o top16 era o grupo de surfistas mais importante de qualquer circuito. Desde a WSL (na altura, IPS) ao circuito nacional português, estar no top16 era fazer parte de uma elite, ser um dos melhores. Os anos passaram e os formatos mudaram mas o número manteve-se como um objectivo a atingir. Fica a conhecer os novos top16 da Liga MEO Surf (2019).

1º – Miguel Blanco
Idade – 23 anos
Local – São Pedro do Estoril
Ranking de 2018 – 2º lugar (vice-campeão da Liga MEO Surf, campeão nacional)
Resultados de 2019 – 3º – 2º – 5º – 1º – 1º

Se a vitória no circuito de 2018 mostrou o potencial de Miguel Blanco, a de 2019 reafirmou. Enquanto que no ano passado teve que dividir o seu resultado com Gony Zubizarreta, que foi campeão da Liga, este ano Blanco ficou com ambos, a Liga e o título nacional. O facto de ter vindo de trás para conquistar as duas últimas etapas do ano só prova o quão à vontade está num dos circuitos nacionais de surf mais competitivos do mundo. O seu objectivo principal será sempre escalar mais o ranking do circuito de qualificação da WSL mas o facto de ter conquistado o segundo título tão novo deixa-o bem ao alcance do recorde de 4 títulos que Vasco Ribeiro e Ruben Gonzalez.

 

 

2º – Tomás Fernandes
Idade – 23 anos
Local – Ericeira
Ranking de 2018 – 6º lugar
Resultados de 2019 – 1º – 9º – 1º – 2º – 17º

Passaram 5 anos, 9 meses e 1 dia entre as duas primeiras vitórias de Tomás Fernandes na Liga, uma distância temporal que não faz justiça ao surf que apresentou durante esse tempo. Em 2019 surgiu com mais maturidade e, tirando os nervos da última etapa e a prova em que terminou em 9º lugar apesar de estar doente, o surfista da Ericeira fez um ano impecável, com duas vitórias e um segundo lugar, ficando muito perto do título. Mesmo com um segundo lugar ranking, o statement estava feito, Fernandes é claramente um dos 4 melhores surfistas portugueses da actualidade e ainda poderá ter algo a dizer a nível internacional.

 

 

3º – Vasco Ribeiro
Idade – 24 anos
Local – São João do Estoril
Ranking de 2018 – 3º lugar
Resultados de 2019 – 2º – 3º – 17º – 9º – 5º

Vasco Ribeiro é capaz de ser o único surfista da Liga que um 3º lugar no ranking final pode quase ser visto como um mau resultado. O surfista de São João começou bem mas perdeu cedo na 3º e 4º etapas, chegando a Cascais fora da disputa. Mas o que é certo é que Ribeiro já não tem nada a provar em Portugal e a sua passagem pelo Liga, vença ou termine em 3º lugar, serve apenas para manter o ritmo competitivo para as provas QS, que é onde está o seu verdadeiro foco.

 

 

4º – Marlon Lipke
Idade – 35 anos
Local – Lagos
Ranking de 2018 – 9º lugar
Resultados de 2019 – 13º – 3º – 5º – 3º – FC

O veterano da Liga continua a ser um dos melhores surfistas do país. O seu power surf será sempre equivalente a notas altas e, mesmo tendo faltado à ultima etapa, terminou em o circuito em 4º lugar. Com a forma que tem apresentado ao longo dos anos o ex-top do Championship Tour mostra potencial de ainda poder disputar o título da Liga num futuro próximo.

 

5º – Eduardo Fernandes
Idade – 32 anos
Local – Brasil / Carcavelos
Ranking de 2018 – 10º lugar
Resultados de 2019 – 13º – 5º – 2º – 9º – 25º

Mesmo sendo um pouco mais novo que Marlon, Eduardo é um bom exemplo do que esta geração mais veterana na Liga ainda é capaz de fazer. Quando as condições batem certo “Edu” parece quase imbatível e ainda poderá ter vitórias e presenças nas finais pela frente durante vários anos, independentemente da força que as novas gerações tenham.

 

 

6º – Jácome Correia
Idade – 20 anos
Local – São Miguel, Açores
Ranking de 2018 – 25º lugar
Resultados de 2019 – 17º – 17º – 25º – 3º – 3º

Jácome Correia representa para os Açores o que João Guedes representa para o Norte do país, é o melhor surfista da sua região “by a mile” e ainda está para aparecer um sucessor. Mesmo tendo começado o ano com três resultados fracos, Correia acabou com 3ºs lugares em Aljezur e Guincho, saltando para o top10 pela primeira vez. O surf que apresentou foi possivelmente o melhor da sua carreia na Liga, mostrando que os treinos nos Açores o deixam bem preparado para ondas de qualidade.

 

 

7º – Francisco Alves
Idade – 26 anos
Local – Costa da Caparica
Ranking de 2018 – 12º lugar
Resultados de 2019 – 5º – 17º – 5º – 33º – 5º

Mesmo sem estar 100% focado no surf neste momento, Francisco Alves tem provado que tem surf de sobra para se manter entre os melhores surfistas do país durante muito tempo. Francisco chegou à fase man-on-man por três vezes este ano e ainda tem potencial de fazer finais, principalmente em provas com ondas acima do meio metro.

 

 

8º – Sidney Guimarães
Idade – 26 anos
Local – Brasil / Ericeira
Ranking de 2018 – 46º lugar
Resultados de 2019 – 9º – 13º – 9º – 5º – 5º

A grande surpresa do ano, Sidney cresceu no Brasil e é bem visível o ritmo competitivo das suas origens. Dois 9ºs e dois 5ºs foi tudo o que precisou para fazer a maior subida do ano, de 46º para 8º lugar. Quando se ambientar melhor à Liga poderá fazer resultados ainda melhores e continuar a escalar o ranking.

 

 

9º – João Kopke
Idade – 24 anos
Local – Carcavelos
Ranking de 2018 – 5º lugar
Resultados de 2019 – 5º – 25º – 17º – 17º – 3º

Mesmo tendo caído algumas posição em relação ao ano passado, João Kopke provou que o seu 5º lugar em 2018 não foi um fluke. O surfista de Carcavelos competiu bem todo o ano mas só conseguiu resultados expressivos na primeira e última etapas. No final foi uma onda sua que decidiu o título nacional, um resultado que acabou por não sair a seu favor mas que lhe garantiu a permanência no top10 do circuito.

 

 

10º – Francisco Almeida
Idade – 19 anos
Local – Carcavelos
Ranking de 2018 – 16º lugar
Resultados de 2019 – 9º – 17º – 3º – 17º – 33º

A nova geração está para ficar e a entrada de Francisco Almeida no top10 nacional é mais uma confirmação do que está para vir. Num ano em que viajou bastante e competiu em 6 etapas do circuito QS, os resultados começaram a ser mais visíveis na Liga e caso não tivesse perdido cedo na última etapa poderia ter terminado perto do top5. Se conseguir manter o ritmo e foco é previsível uma subida gradual nos próximos anos.

 

 

11º – João Guedes
Idade – 33 anos
Local – Porto
Ranking de 2018 – 12º lugar
Resultados de 2019 – FC – 9º – 3º – 9º – 33º

Quase 20 anos depois da sua primeira vitória na Liga, o veterano continua sólido entre os melhores surfistas do país. Apesar do foco na preparação para surfar ondas grandes, Guedes continua com surf de topo e na sua etapa caseira, onde não tem um bom historial de resultados, foi candidato à vitória, o que justifica o seu lugar tão perto do top10 apesar não ter tido mais resultados expressivos. Enquanto se mantiver focado, o Norte do país mantém o seu representante entre os melhores, algo que deve perdurar durante muitos anos.

 

 

12º – Ivo Cação
Idade – 30 anos
Local – Figueira da Foz
Ranking de 2018 – 25º lugar
Resultados de 2019 – 5º – 9º – 33º – 25º – 9º

Se o circuito tivesse mais point breaks de direita, Ivo Cação estaria muito mais perto do topo. Em Ribeira D’Ilhas mostrou o seu verdadeiro potencial, chegando à fase man-on-man e mesmo em beach break o seu surf está entre os melhores do país, o que lhe permitiu mais um regresso ao top16, onde já esteve presente durante muitos anos. Ivo tem sido bem sucedido em manter a Figueira da Foz entre os melhores portugueses, tal como Guedes fez para o Porto e Jácome para os Açores.

 

 

13º – Filipe Jervis
Idade – 28 anos
Local – Guincho
Ranking de 2018 – 7º lugar
Resultados de 2019 – 13º – 13º – 13º – FC – 5º

Jervis já nos começa a habituar ao facto de ter anos mais off e outros mais em foco. Apresentou bom surf em todas as etapas que participou mas não conseguiu passar do round de 16 nas três primeiras e faltou à quarta. Salvou o ano com uma excelente prestação na última etapa, em Cascais, mantendo-se assim no top nacional. Continua dono do estatuto de melhor surfista português (da actualidade) que nunca venceu na Liga, algo que poderá perder a qualquer momento.

 

 

13º – Guilherme Fonseca
Idade – 22 anos
Praia – Peniche
Ranking de 2018 – 8º lugar
Resultados de 2019 – 13º – 5º – 9º – FC – 9º

O surfista de Peniche tem mantido o seu foco mais na sua própria evolução que nos resultados competitivos, mas não resistiu em competir em 4 etapas e manter o seu lugar nos 16 melhores surfistas do país. A evolução é visível mais pelos vídeos que tem lançado que pelos resultados mas, tendo em conta que os seus objectivos são mais internacionais, a aposta parece estar a ser correcta. No entanto só o tempo dirá o que o futuro reserva a este surfista.

 

 

15º – Guilherme Ribeiro
Idade – 17 anos
Local – Costa da Caparica
Ranking de 2018 – 37º lugar
Resultados de 2019 – FC – 5º – 13º – 33º – 13º

Um dos grandes talentos da sua geração, Ribeiro tem batalhado lesões e expectativas de um futuro no surf que ainda poderá passar pela internacionalização. A sua passagem pela Liga este ano ainda não mostrou realmente o que vale mas foi suficientee para acabar entre os tops. O seu melhor resultado do ano foi mais recente, no ISA World Junior Surfing Championship, onde bateu muitos dos grandes nomes da sua geração e colocou-se no “pelotão” da frente da sua faixa etária.

 

 

16º – João Moreira
Idade – 20 anos
Praia – Carcavelos
Ranking de 2018 – 21
Resultados de 2019 – 17º – 13º – 5º – FC – 25º

João Moreira é mais um surfista com muito potencial que ainda só mostrou uma fracção do que vale no mais importante circuito de surf português. A qualquer momento poderá dar um grande salto no ranking mas primeiro terá que mostrar mais consistência em fazer o surf que apresenta nas primeiras fases mais à frente no campeonato.

 

 

Fora do top16 por muito pouco ficaram Afonso Candeias (17º) que foi uma das surpresas do ano, Joaquim Chaves, Cainã Souza e João Vidal. Os novos nomes foram Jácome Correia, Sidney Guimarães, Ivo Cação, Guilherme Ribeiro e João Moreira, que substituíram Gony Zubizarreta, Pedro Henrique, Dylan Groen, Pedro Coelho, e Kiron Jabour.

Comentários