Falta apenas uma etapa para o fim do Championship Tour da WSL de 2019 e cinco surfistas mantêm hipóteses de ser campeões mundiais.

Fica a conhecer o historial de cada um no Billabong Pipe Masters:

Kolohe Andino (actual 5º do ranking):
O único surfista desta disputa que nunca venceu uma prova do Championship Tour tem um historial fraco em Pipe, com quatro 25ºs lugares em 8 participações. Conta também com três 13ºs e um 3º, em 2016. Se as ondas estiverem mais para Backdoor que para Pipe tem mais hipóteses de avançar até às fases finais mas na prática as suas hipóteses de se sagrar campeão mundial em 2019 são mais matemáticas que reais.

Filipe Toledo (actual 4º do ranking):
“Filipinho” já chegou a esta etapa numa posição melhor, tanto em 2015 como em 2018, e perdeu a oportunidade cedo em ambas. Em seis etapas este brasileiro já fez dois 25ºs, dois 13ºs, um 9º e um 5º. A sua prestação tem melhorado ao longo dos anos mas vai depender muito das condições para ser um verdadeiro player nesta disputa.

Jordy Smith (actual 3º do ranking):
Jordy já competiu 10 vezes no Pipe Masters e entre elas destacam-se o 3º lugar de 2018 e dois 5ºs, tendo ficado no round 2 ou 3 nas restantes participações. Um bom resultado para o sul africano não está fora de questão nesta prova mas não pode ser considerado o favorito e sim um sério dark horse nesta disputa.

Gabriel Medina (actual 2º do ranking):
O campeão mundial de 2014 e 2018 competiu em Pipe 8 vezes e venceu no ano passado. Os seus resultados são dois 5ºs, um 9º, dois 13º, e dois 2ºs e um 1º. Apesar de estar em segundo lugar no ranking, é o claro favorito, sendo o mais competitivo surfista neste local desde Kelly Slater no seu auge.

Ítalo Ferreira (actual 1º do ranking):
O líder do circuito é o mais recente no Championship Tour entre os “contenders” tendo apenas competido em Pipe quatro vezes, com três 13ºs e um 5º lugar. Apesar de mostrar potencial e diversidade no seu surf para vencer quase qualquer prova do tour, vai ter se superar nesta etapa se não quiser virar “freguês” de Medina nesta disputa pelo título.

Fica a conhecer os requisitos na disputa pelo título mundial da World Surf League de 2019:

– Se Ítalo Ferreira vencer o Billabong Pipe Masters, garante o título mundial;

– Se Ítalo Ferreira ficar em 2º lugar em Pipeline, Gabriel Medina e Filipe Toledo precisam de vencer a etapa para lhe tirarem o título mundial;

– Se Ítalo Ferreira ficar em 3º lugar em Pipeline, Gabriel Medina precisa de um 2º lugar e Filipe Toledo e Jordy Smith precisam de vencer a etapa para lhe tirarem o título mundial;

– Se Ítalo Ferreira ficar em 5º lugar em Pipeline, Gabriel Medina precisa de um 3º lugar, Filipe Toledo um 2º lugar e Jordy Smith de um 1º lugar para lhe tirarem o título mundial;

Se Ítalo Ferreira ficar em 9º lugar em Pipeline, Gabriel Medina precisa de um 5º lugar, Filipe Toledo de um 3º lugar, Jordy Smith de um 2º lugar e Kolohe Andino de um 1º lugar para lhe tirarem o título mundial;

– Se Ítalo Ferreira ficar em 17º ou 33º lugar em Pipeline, Gabriel Medina e Filipe Toledo precisam de ficar 9º lugar, Jordy Smith em 5º lugar e Kolohe Andino em 2º lugar para lhe tirarem o título mundial;

O Billabong Pipe Masters realiza-se entre 8 e 20 de Dezembro, em Pipeline, Oahu, Havai.

O Top 5 após MEO Rip Curl Pro Portugal
1 – Ítalo Ferreira (BRA) – 51.070 pts
2 – Gabriel Medina (BRA) – 50.005 pts
3 – Jordy Smith (ZAF) – 49.985 pts
4 – Filipe Toledo (BRA) – 49.145 pts
5 – Kolohe Andino (USA) – 44.665 pts

 

Comentários