Conhecemos Kelly Slater como o melhor surfista de todos os tempos, talvez até como o melhor atleta de todos os tempos. Com mais de quarenta anos de idade, Slater continua a lutar pelo título mundial, e as suas estatísticas contra praticamente todos os surfistas do tour são impressionantes.

Qualquer surfista que tenha de competir contra ele já sabe que os números estão a favor do 11x vezes campeão mundial. Mas será que há alguma altura em que o norte-americano está mais “vulnerável”? Aparentemente, há!

Estatisticamente a altura em que um competidor tem as melhores hipóteses de bater o “rei” é no primeiro ano no WCT. A denominação de rookie carrega consigo uma conotação negativa pois aplicada ao mundo do desporto competitivo significa que se trata de um novato e implica que tem muito para aprender. Todos os rookies do WCT sabem que o primeiro ano é de aprendizagem e que vão ter de evoluir muito para chegar aos seus objectivos. No entanto, é também o ano em que têm mais hipóteses de derrotar Kelly Slater.

Esta vulnerabilidade já vem do início da sua incrível carreira, mais especificamente do ano de estreia da divisão dos circuitos entre WQS e WCT. Slater começou mal na primeira etapa, em 1992, perdendo prematuramente em Bells Beach, que na altura era onde o circuito começava.

Seguiu-se o Coke Classic e os beach breaks de North Narrabeen. Aí o resultado já foi melhor e Kelly chegou à final onde encontrou o surfista que era considerado como a resposta australiana a Slater, Shane Herring. A batalha foi renhida mas Herring venceu e assumiu a liderança do circuito. Essa seria a única vez que Herring derrotaria Kelly, uns meses mais tarde o norte-americano garantia o seu primeiro título mundial da ASP e uns anos mais tarde Shane desaparecia do mundo do surf (notícia relacionada AQUI).

Shane Powell foi membro dessa mesma geração e aproveitou esse primeiro ano para ficar com um recorde positivo de vitórias sobre Kelly. Os dois iriam ter muitas outras batalhas pela frente, mas quase sempre dominadas por Slater. Alguém se lembra de Jojo de Olivença? Qualificou-se para o circuito de 1994, derrotou Slater no Yop Pro na Ilha Reunião nesse mesmo ano, e só foi parado na final por Sunny Garcia. Danny Wills? Teve um primeiro ano pavoroso em que apenas se destaca um heat vitorioso no Buondi Pro na Figueira da Foz contra o então 5x campeão do mundo!

O mesmo se passou com Taj Burrow em 1998 (JBay), Bruce Irons em 2004 e Chris Ward e Bede Durbidge em 2005. Bruce até tinha um recorde negativo de três derrotas para Kelly quando foi wildcard em alguns WCTs, mas no seu ano de rookie equilibrou as contas derrotando-o por três vezes. A lista continua, Bobby Martinez em 2006, Jeremy Flores e Kai Otton em 2007, Tiago Pires em Bali em 2008, Aritz Aranburu em 2009, Jadson André em 2010 – todos rookies, todos derrotaram o campeão.

Mais recentemente há o caso de Gabriel Medina, que no seu fabuloso primeiro “semestre” derrotou Slater duas vezes. No entanto, no ano a seguir já perdeu mais do que ganhou e, apesar de ter potencial de vencer mais vezes o melhor surfista de todos os tempos, as estatísticas já não estão do seu lado!

Por isso já sabem, se tiverem de apostar contra Kelly Slater, os rookies poderão ser a melhor escolha!

 

Comentários

Os comentários estão fechados.