Mais um mês, mais uma mão cheia de novidades no que toca a patrocínios, poucas delas boas.

A grande “bomba” do momento foi a saída de Julian Wilson da Hurley. O australiano que tem sido candidato ao título várias vezes nos últimos anos sempre teve uma relação tumultuosa com este seu patrocinador principal. Quando se qualificou para o CT Wilson saiu da Quiksilver para se juntar à Nike como “numero uno” da equipa e quando foi “transferido” para a Hurley, para onde havia boatos de uma possível contratação de John John Florence, a sua ligação com a marca “azedou” de imediato. Fast forward uns anos para a frente, para actualidade, e o super talento aussie não só saiu da marca como iniciou um processo judicial contra o seu ex-patrocinador, alegadamente exigindo um pagamento de mais de um milhão de dólares que lhe estavam em dívida. As novidades da Hurley não ficam por aí, a surfista portuguesa que actualmente vive na Austrália, Concha Balsemão, deixou de fazer parte desta equipa há alguns meses e Sam Piter, um dos mais promissores groms da europa, voltou a ser contratado para esta equipa depois de ter sido despedido no início do ano, juntamente com uma série de grandes nomes da Hurley

Entretanto o ex-campeão mundial júnior, o brasileiro residente em Portugal, Lucas Silveira, não teve o seu contrato com Rusty, marca que o patrocinou a nível de pranchas e roupa durante 3 anos, renovado. Também o italiano Roberto D’Amico, que foi patrocinado pela Reef a nível de roupa por mais de uma década deixou de ter esta marca como patrocinador principal, apesar de manter ligação à mesma como patrocínio de calçado. Outros despedimentos que passaram debaixo do radar foram os de Clay Marzo depois de cerca de 5 anos na Just Living (JSLV) e o do basco Vicente Romero que tinha a DaKine como patrocinador principal, roupa e acessórios, passando a ser apenas apoiado de acessórios pela marca.

Numa nota mais positiva, a norte-americana Sage Erickson tinha deixado de fazer parte da RVCA há alguns meses agora juntou à Outer Known, ficando como a única outra patrocinada da marca além do fundador, Kelly Slater.

Já em Portugal dois surfistas em ascensão garantiram apoios de marcas fora da indústria do surf. A campeã nacional de 2019, Yolanda Hopkins, passou a contar com o apoio da Mindera – Software Craft, uma empresa de sistemas de software, e Martim Carrasco, o campeão nacional de sub18 de 2019, juntou-se ao team BeStronger. O surfista da Ericeira terá agora acesso a um método de preparação e recuperação de surfistas, aplicado com técnicas da Medicina Chinesa, juntando-se a uma equipa que já conta com a presença de João Guedes, Arran Strong e Daniel Nóbrega.

Para os mais distraídos, no mês passado a Wildsuits contratou Tomás Alcobia e Arran Strong e Miguel Blanco juntou-se ao team D’Bris.

Mais novidades em breve…

Comentários