A SURFER, além de ter sido a primeira revista de surf, foi a primeira a fazer entregas de prémios aos surfistas mais populares, algo que vem desde 1963 até aos dias de hoje.

Entretanto a “Bíblia do Surf” juntou mais alguns prémios ao seu evento, que são dos mais prestigiosos de toda a indústria do surf. Neste momento além de apontar para os 10 surfistas mais populares do planeta, uma lista que já incluiu Frederico Morais, esta que é uma das poucas revistas ainda em circulação, premeia as seguintes categorias: Melhor Filme, Melhor Série de vídeo, Melhor Tubo, Melhor Manobra, Melhor Performance e Melhor Performance em Ondas Pesadas.

Podes (e deves) votar em Nicolau Von Rupp AQUI!

É na “Melhor Performance em Ondas Pesadas” (“The Hardest Chargers of 2019”) que um surfista português foi nomeado, Nicolau Von Rupp. As suas performances, um pouco por todo o mundo, não passam despercebidas e o local da Praia Grande é um sério candidato à vitória ao lado de Grant Baker, Billy Kemper, Kai Lenny, Nathan Florence, Koa Rothman, Russel Bierke e ainda Bianca Valenti, Paige Alms, Keala Kennelly, Andrea Moller e Justine Dupont na categoria feminina.

Os candidatos nas outras categorias são os seguintes:

Melhor Tubo – Keito Matsuoka, Cam Richards, Jack Freestone, Koa Rothman, Matashi Drollet, Russel Bierke, Stephanie Gilmore, Courtney Conlogue, Vahine Fierro, Tatiana Weston-Webb, Coco Ho e Bethany Hamilton;

Melhor Manobra – Julian Wilson, Matt Meola, Kolohe Andino, Seth Moniz, Ian Crane, Creed McTaggart, Chipa Wilson, Silvana Lima, Courtney Conlogue, Tatiana Weston-Webb, Caroline Marks e Gil Ferreira;

Melhor Estilo – Torren Martyn, Craig Anderon, Bryce Young, Alex Knost, Derrick Disney, Mikey February, Stephanie Gilmore, Erin Ashley, Karina Rozonko, Alana Blanchard e Kalia Moniz;

Melhor Série – “Weird Waves” de Dylan Graves, “Know The Feeling” de Scott Wynn com Laura Enever, “Who is JOB 9.0” de Greg Browning com Jamie O’Brien, “Made In South Africa” de Jason Hearn com Jordy Smith, Frank Solomon e mais e “No Contest” da Red Bull e Ashton Goggans;

Melhor Curta – “The Quieter You Are, The More You Can Hear” de Kai Neville com Craig Anderson, “Tesoro Enterrado” de Perry Gershkow com Torren Martyn, “HOME-ish” de Jacob Vanderwork com Kolohe Andino, “Flow State” de Andrew Kaineder com Russell Bierke, “Fruition” de Cole Yamane com Seth Moniz, “There and Back Again” de Nathan Florence e Parallel Sea, “Mind” de Andrew Storer, com Barron Mamiya, “Cult of Freedom: The Creed Part” de Joe G com Creed McTaggart, “Ru.Bu 994” de Mikey Mallalieu com Noa Deane, “Opinionated Passion” de Dan Norkunas com Albee Layer e Left Brain, Right Brain” de Kai Neville com Chippa Wilson;

Melhor Filme – “Thank You, Mother” de Ishka Folkwell e Torren Martyn, “Heavy Water” de Michael Oblowitz com Nathan Fletcher, “Zone Frequency” de Jack Coleman ccom Bryce Young, Ryan Burch e outros, “Self Discovery for Social Survival” de Chris Gentile com Stephanie Gilmore, Ellis Ericson e mais e “Rolling Review” de Eddie Obrand com Cam Richards, Eric Geiselman e mais;

 

Comentários