Hoje em dia é fácil encontrar o nosso desporto inserido em campanhas de marcas endémicas, mas raramente são feitas com surfistas conhecidos. Há excepções, como por exemplo a famosa campanha “Alface do Lidl“, a de Frederico Morais para MEO, e agora, Miguel Blanco para a Sumol. Depois de ver o campeão nacional a passar na televisão em horário nobre aproveitámos para falar um pouco com ele e meter a conversa em dia…

Vimos-te recentemente numa campanha da Sumol, conta como surgiu a tua presença neste anúncio?
A minha parceria com a Sumol já vai para o segundo ano e passa por vários projectos. No ano passado acabei por fazer o vídeo da Indonésia, Here and Now, em parceira com eles. Este ano também estamos a organizar um evento, em que vamos ter uma recolha de lixo e uma aula de surf, e acabou por surgir esta oportunidade de também de fazer o anúncio, pois já estava ligado à marca.

Como foi a produção da tua parte do vídeo, muito diferente do que estás habituado a fazer para os teus patrocinadores?
A produção foi grande, é um anúncio de televisão de 40 segundos onde representaram todos os embaixadores da Sumol. Fecharam a praia para fazer uns segundos de imagem e acho que o resultado final foi brutal. Estar na televisão é um grande exposure. O feedback foi super positivo, a imagem que eu tive é bem surf, foi chegar ao mar, contemplar, analisar… cria aquela conexão portanto senti-me muito bem de ter feito o anúncio e acho que se enquadrou muito bem na minha imagem.

Conta como correram para ti as provas mais recentes do QS…
Recentemente estive no Chile, a fazer dois QS’s e uma surftrip no sul do país. No primeiro campeonato alcancei o round de 16 e neste momento estou na 78ª posição do ranking. Acho que pode ser suficiente para competir na segunda parte do ano mas ainda não acabou a primeira. Vou para Ballito, África do Sul, daqui a duas semanas, tenho um QS 10.000 lá, que é o primeiro do ano. Não estou a pensar propriamente nos pontos mas sim no resultado e em realmente mostrar o meu surf. Ainda vou ter a etapa da Liga MEO no Algarve antes, não é neste fim de semana mas no próximo, que é uma excelente preparação para as provas internacionais.

De um modo geral, como está a ser o ano para ti?
Este ano está a ser óptimo, mais uma vez tenho feito um bocadinho de tudo, competição e free surf. Vai sair agora uma onda minha na surftrip do Chile que realmente teve bastante impacto e a nível competitivo alcancei um 2º lugar na Liga MEO, um 3º e um 5º. Ainda não alcancei uma vitória como gostaria mas acho que há de vir, há de chegar, e no QS já passei uns heats mas ainda não fiz o resultado sólido de que estou à procura. Mas com certeza há de vir. Em termos de free surf já marquei aqui mais uns pontos e apanhei mais uma vez das melhores ondas que surfei na vida. 2019 está a ser bastante bom!

 

Comentários