A meses do fim da época competitiva de 2019 na World Surf League ainda está muito para decidir, mas já há nomes praticamente garantidos no tour de 2020.

Qualquer surfista que se encontra no top1o do Championship Tour pode acumular 33ºs lugares nas etapas que faltam, pois os pontos que já juntou são suficientes para terminar no top22. Também os dois primeiros classificados no ranking QS, Jadson André e Alex Ribeiro, e provavelmente Miguel Pupo (3º do ranking), já têm pontos de sobra para ficar dentro do cut mesmo que não façam mais qualquer outro resultado este ano.

No caso de Jadson, a sua qualificação parece eminente desde Março, quando fez a sua terceira final em provas de 6.000 pontos, tendo vencido uma das três. No entanto, desde aí o brasileiro só competiu nas provas de 10.000 pontos e não conseguiu melhor que um 37º lugar. No CT “Jaddy” fez um bom resultado no Tahiti, 5º lugar, e pareceu estar “revigorado” para o resto do ano. De olho na próxima etapa do tour, o Freshwater Pro, Jadson recebeu três pranchas do shaper português Nuno Matta. Mesmo não sendo patrocinadora a 100% de Jadson, a marca portuguesa Matta Shapes desenvolveu um modelo de prancha com ele, o J5, baseada em pranchas de Nuno Matta que já tinham trazido muito sucesso a este surfista.

Ao receber o seu batch mais recente de J5s by Matta Shapes, o actual 29º do ranking CT gostou tanto que decidiu usar uma delas na recente etapa QS 10.000 de Pantin. E foi aí que a “magia” aconteceu novamente, Jadson voltou aos grandes resultados no QS, terminando a prova em 3º lugar. Com os 6.500 pontos que recebeu, André subiu novamente ao primeiro posto, desta vez com uma pontuação difícil de ser superada, 22.500 pontos, contando ainda com uma prova de 1.000 pontos para descartar.

De seguida o líder do QS arranca para os EUA para competir na piscina de ondas, e quase que apostamos que usará um dos seus foguetes by Nuno Matta.

 

Comentários